Publicidade

Correio Braziliense

INPC fica abaixo de 2% pela primeira vez desde o Plano Real, diz IBGE

O índice serve para corrigir as aposentadorias e pensões pagas pela Previdência Social, além de reajustar o salário mínimo


postado em 08/02/2018 10:28

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) subiu 0,23% em janeiro, registrando o menor patamar desde o Plano Real. No acumulado dos últimos 12 meses, o indicador ficou pela primeira vez abaixo de 2%, quando calculou 1,87%. Os dados foram divulgados na manhã desta quinta (8/2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 
O INPC é calculado com base na variação de preços para as famílias com renda de um a cinco salários mínimos. O índice serve para corrigir as aposentadorias e pensões pagas pela Previdência Social, além de reajustar o salário mínimo. 
 
Em comparação com o mesmo mês do ano passado, o INPC de janeiro ficou 0,19 ponto menor. O menor índice ficou em Brasília, que marcou recuo de 0,15%, com queda na energia elétrica, de 5,20%, e na gasolina, de 1,68%. 
 
O instituto percebeu um preço menor para o combustível em janeiro, quando alguns postos chegaram a vender o litro a R$ 3,75. Já a energia caiu porque parou de ser cobrada a taxa adiciona R$ 0,03 por cada kwh consumido, referente a bandeira tarifária vermelha patamar 1, que vigorava em dezembro. 
 
Os produtos alimentícios tiveram uma alta de 0,76% em janeiro, frente os 0,43% de dezembro. Em Vitória, a média no aumento de preço do tomate chegou a 74,68%. 
 
Das 13 regiões pesquisadas pelo IBGE, apenas Curitiba e Goiânia estão com o INPC acima de 3% em 12 meses, sendo 3,19%, para a primeira cidade, e 3,01%, para a segunda. A menor é de Belém, que marcou 0,28%. Brasília ficou em 1,84%, pouco abaixo da média nacional, de 1,87%.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade