Publicidade

Correio Braziliense

Secretário-executivo do Ministério da Fazenda recebe executivos da JBS

De acordo com Eduardo Guardia, o encontro ocorreu à pedido da companhia, que mostrou a recuperação dos negócios e o aprimoramento da governança corporativa


postado em 09/02/2018 11:48 / atualizado em 09/02/2018 14:11

O secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia, recebeu executivos da JBS, na manhã desta sexta (9/2). De acordo com o representante da equipe econômica, o encontro ocorreu à pedido da companhia, que mostrou a recuperação dos negócios e o aprimoramento da governança corporativa. 

O grupo está no centro do maior esquema de corrupção do país, que está sendo investigado pela Operação Lava-Jato. Em maio de 2017, houve um vazamento de uma gravação entre Joesley Batista, dono da J&F, e o presidente Michel Temer. No diálogo, o executivo da companhia conversava abertamente sobre a compra de procuradores e juízes nos processos da empresa. 

“Vieram fazer uma apresentação sobre a empresa, mostrar o que eles tem feito em termos de gestão financeira do negócio, em termos de aprimoramento de governança corporativa, de melhora de compliance”, declarou Guardia. “Não tenho constrangimento de receber empresários, que querem falar de negócios, querem falar de economia do país. Foi uma reunião como eu recebo vários outros empresários, segmentos, associações de empresários, setores, etc”, completou. 

Guardia recebeu o presidente o dono da JBS, José Batista Sobrinho, o presidente de operações globais da companhia, Gilberto Tomazoni, e o presidente de operações do Brasil da empresa, Wesley Batista Filho. José Batista é pai de Joesley Batista, que está preso por irregularidades no acordo de delação premiada que firmou com a Procuradoria-Geral da República (PGR). Wesley Batista, pai de Wesley Batista Filho, também está preso. 

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, foi integrante do Conselho de Administração da J&F entre 2012 e 2016. Ele saiu para assumir o cargo que atua até hoje. “O ministro da Fazenda não tem nada a ver com essa conversa”, disse Guardia.”Minha agenda é pública. Eu não tinha falado com o ministro sobre essa reunião”, acrescentou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade