Publicidade

Correio Braziliense

Relator da reforma tributária faz 'pacto' para evitar perdas de arrecadação

O diretor da consultoria tributária ROIT Lucas Ribeiro disse que o impasse da receita foi um dos pontos que mais travaram a votação da proposta


postado em 15/03/2018 16:20 / atualizado em 15/03/2018 16:36

A reforma tributária, proposta pelo deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) não vai reduzir a arrecadação da União, estados e municípios. O parlamentar fez um “pacto” para que o texto não retire os ganhos dos entes da federação. Lucas Ribeiro, diretor da consultoria tributária ROIT, afirmou que o impasse da receita foi um dos motivos que mais travaram a votação do texto. 

Há um receio da União em perder a arrecadação. Mas Waldir de Lara Junior, também diretor da empresa, avalia que a redução não deve ocorrer. “O IVA (Imposto de Valor Agregado) ficará mais caro, mas ficará mais transparente. Isso facilitará que diminua os erros no Brasil dentro dos recolhimentos, que geram contingências empresariais”, apontou. 

O IVA é uma proposta de Hauly para unificar nove tributos que incidem sobre bens e serviços, inclusive os PIS e a Cofins. A ROIT auxiliou o parlamentar a definir como será a transição de sistemas. “Muitas empresas na transição podem ficar com uma conta impagável e uma carga tributária efetiva muito maior do que elas têm hoje. Isso quebraria muitas empresas”, alegou Lucas Ribeiro.

Waldir de Lara Junior explica que alguns setores têm tributação diferenciada, como o de energia elétrica por exemplo. “Então, a reforma tributária tem que passar por uma série de elementos que viabilize (a transição). Ou seja, nós não vamos conseguir colocar no IVA a cobrança de energia elétrica atual dentro do consumo numa maneira linear”, disse. 

As declarações foram feitas na noite desta quarta-feira (15/03) durante a inauguração de uma unidade da ROIT, em Brasília. O deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), que é relator da reforma tributária, participou da cerimônia e criticou o sistema tributário nacional. Ele classificou como ‘anarco-caótico’, porque, além de confuso, taxa de maneira equivocada, gerando concentração de renda e prejuízos às empresas. 

De acordo com o deputado, o ambiente de negócios também é impactado pela de concorrência, criada pelas distorções tributárias. Ele defendeu a reforma, que está produzindo na Câmara dos Deputados, e criticou a insistência do projeto do PIS-Cofins

ROIT

A ROIT é uma Startup de contabilidade que nasceu em Curitiba, em 2016, e inaugurou uma unidade em Brasília. A empresa passa por uma expansão e abrirá seis unidades (contando com Brasília). Ela foi criada com com enfoque em Lucro Real para dar melhor performance tributária e transparência fiscal às empresas contratantes.

O diretor Waldir de Lara Júnior declarou que a Roit atua com uma regra legislativa que é complexa no Brasil, aplicando ela nos mecanismo que são esquecidos. “Dentro destes mecanismos contém uma grande redução tributária (às empresas), o que as vezes viabiliza e potencializa o negócio dos nossos clientes”, alegou. 

A ROIT também ajudou na confecção da reforma tributária proposta pelo deputado Hauly. No evento de inauguração, mais de 200 empresários, profissionais da área, entidades como o SEBRAE Nacional e SEBRAE-DF, presenciaram a cerimônia. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade