Publicidade

Correio Braziliense

Lances vencedores das concessões de aeroportos somam R$ 49 bilhões

O anúncio ocorreu nesta quinta-feira (26/4), durante o evento Airport Infra Expo 2018


postado em 26/04/2018 13:49

Os lances vencedores das concessões dos aeroportos federais somam cerca de R$ 49 bilhões, de acordo com o diretor do Departamento de Políticas Regulatórias da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Ronei Saggioro Glansmman. O anúncio ocorreu nesta quinta-feira (26/4), durante o evento Airport Infra Expo 2018.

Os investimentos foram feitos ao longo de 16 anos, que resultaram num total de R$ 15 bi. O Bloco do Nordeste teve 13,2 milhões de passageiros em 2017, e a previsão é de 41 milhões ao final da concessão, em 2049. "É um bloco muito focado em turismo", afirma Glansmman.

Segundo o diretor, o Capex (sigla da expressão inglesa “CAPitalEXpenditure”, que, em português, significa despesas de capital ou investimento em bens de capital) previsto é de aproximadamente R$ 2 milhões. Ele dá atenção especial ao Recife e Maceió, ambos com a previsão de R$ 22 milhões e R$ 5 milhões até 2049, respectivamente. "O governo vai tentar naquilo que for possível ser o menos prescritível possível", revela.

Já o Centro-Oeste teve 3,3 milhões de passageiros em 2017, e tem a previsão de 9,3 em 2049, além de Capex previsto de R$ 797 milhões. "Temos a necessidade de uma nova pista em Cuiabá. Essa pista iria com Capex obrigatório, por isso o valor dele separado é de R$ 503 mi", explica Glansmman.

Por fim, o Sudeste teve, em 2017, 3,2 milhões de passageiros e a projeção para 2049 é de 8,1 milhões, com Capex de R$ 682 mi. O destaque vai para Macaé, que assim como Cuiabá, também precisa de pistas novas. "É por causa de uma pista em Macaé, o terminal é novo, mas a pista é totalmente dentro da faixa de pista e a solução também é uma nova pista de pouso e decolagem, mais afastada", afirma.

O período da consulta pública na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) durará de 16 de maio até 16 de junho. "Não temos como garantir prazo no TCU, mas esperamos que nesses dois meses nós consigamos aprovar esses estudos e o edital", afirma. A previsão é de que o edital saia em setembro, e leilão em dezembro.

Além disso, a quantidade média de passageiros processados do setor de aviação tem um crescimento médio anual de 9% (2003-2007). A tarifa média é de R$ 350 reais, o menor valor histórico, e a ocupação média das aeronaves é de 83%. Nesse cenário, a recuperação singela da economia brasileira atraiu investimentos. 

O diretor de desenvolvimento da Zurich Airport Latin America, Matthias Poeter, afirma que um dos desafios é a instabilidade do mercado. "O mercado e suas condições mudam o tempo todo, e isso deve ser negociado", afirma. A empresa prevê a criação de aeroportos em Florianópolis, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

*Estagiária sob supervisão de Jacqueline Saraiva

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade