Publicidade

Correio Braziliense

Após envolvimento na Lava-Jato, Camargo Corrêa passa a se chamar Mover

Reposicionamento no mercado foi iniciado há três anos. Em 2017, companhia amargou perdas de R$ 1,4 bilhão. Com a mudança, quer aplicar novo conceito associado à segurança


postado em 14/06/2018 11:11 / atualizado em 14/06/2018 11:30

Camargo Correa muda nome da holding para Mover(foto: Divulgação )
Camargo Correa muda nome da holding para Mover (foto: Divulgação )

A Camargo Corrêa, holding que controla e tem participação em diversas empresas de infraestrutura, comunicou, nesta quinta-feira (14/06), a mudança de nome para Mover. A alteração tem como base o movimento estratégico iniciado há três anos, com a transformação de um modelo de administração familiar para o foco na gestão de portfólio. O novo nome reflete o reposicionamento da companhia e uma nova estratégia de negócios.

Envolvida na Lava-Jato, a empresa amargou prejuízos. Em 2017, a Camargo Corrêa, holding de capital fechado e controle familiar, teve perda líquida de R$ 1,4 bilhão, mais de duas vezes o resultado negativo do ano anterior, que foi de R$ 676 milhões. Entre passivos circulantes (dívidas com vencimento em até 12 meses) e não circulantes (acima de 12 meses), o grupo fechou 2017 com mais de R$ 3 bilhões, a maior parte com vencimento no longo prazo. O montante representa menos da metade das obrigações existentes no fim do exercício de 2016, que somavam R$ 7,7 bilhões.

Estratégia

Como holding de capital fechado, a Mover nasce com um mix diversificado de negócios, respaldada por quase oito décadas de atividade do Grupo Camargo Corrêa no Brasil. A companhia é formada por empresas de vários setores de infraestrutura: cimento (InterCement), transporte e mobilidade urbana (CCR), engenharia e construção (Camargo Corrêa Infra), incorporação imobiliária (Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário e HM), têxtil (Santista), outsourcing (Vexia) e indústria naval (EAS). Subsidiárias que encerram 2017 com operações na América Latina, Europa e África e, aproximadamente, 20 mil funcionários diretos.

Segundo a companhia, a mudança representa a combinação de atributos como empreendedorismo, capacidade técnica e internacionalização. “Com a visão atual voltada para a melhoria contínua da governança, espírito de transformação, reinvenção e capacidade para estabelecer parcerias. O foco neste próximo ciclo será um modelo em linha com o perfil das empresas contemporâneas, voltado para construção de alianças – sinergia natural das empresas no mercado atual”, informou em nota.

A marca Mover pretende reconquistar o conceito de segurança e preparo para um ambiente de negócios dinâmico e criativo, segundo o anúncio da mudança. “Além disso, a holding passa a trazer um nome mais curto e simplificado, o que é positivo para a internacionalização. Já o novo slogan – Pensar junto é criar valor – que acompanha a marca, expressa uma postura mais moderna, orientada para as tendências de mercado, cada vez mais criativo, com ações compartilhadas e foco no resultado e retorno do capital alocado.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade