Publicidade

Correio Braziliense

Arrecadação federal de maio fecha em R$ 106,1 bilhões, alta real de 5,68%

Este é o melhor resultado para maio desde 2015. No acumulado do ano, os ganhos foi de R$ 603,4 bilhões, o que também representa uma alta de 7,81%


postado em 26/06/2018 11:11 / atualizado em 26/06/2018 11:44

A arrecadação da Receita Federal de maio foi de R$ 106,192 bilhões, registrando uma alta de 7,81% em relação ao mesmo mês de 2017. Este é o melhor resultado para maio desde 2015. Os dados foram divulgados na manhã desta terça-feira (26/6) pelo Fisco.

No acumulado do ano, os ganhos foi de R$ 603,4 bilhões, o que representa uma alta de 7,81%. Em 12 meses, a receita foi de R$ 1,4 trilhão, 3,65% maior do que o calculado até abril. 

A Receita Federal destacou que houve um ganho extraordinário (aqueles que não são recorrentes) de R$ 3,89 bilhões. Entre eles, a arrecadação de R$ 1,04 bilhões com o Refis, o Programa Especial de Regularização Tributária (Pert). Esse programa permitiu que empresas endividadas com o Fisco ganhassem descontos e parcelassem as pendências. 

Outro fator extraordinário é a tributação do PIS-Cofins sobre os combustíveis, que aumentou a alíquota para a gasolina, óleo diesel e etanol em julho de 2017. Os ganhos para a Receita foi de R$ 2,848 bilhões, o que representa uma alta de 122% em comparação com maio de 2017. 

Os dados não têm efeitos ainda da ação do governo federal para reduzir o preço do óleo diesel na bomba, após a greve dos caminhoneiros. Os resultados serão sentidos no próximo relatório de arrecadação, com os dados de junho. 

Além dos fatores extraordinários, o Fisco destacou que houve crescimento dos principais indicadores macroeconômicos. Na prática, quanto maior for a atividade econômica, mais o governo federal arrecada com os tributos. 

Excluindo os efeitos não recorrentes, a arrecadação foi de R$ 103,9 bilhões, ou seja, haveria, ainda um crescimento de 5,16%. A Receita mostrou que houve alta de 15,57% nos ganhos com o Imposto de Renda para Pessoa Jurídica (IPRJ) e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) em maio, chegando a R$ 11,5 bilhões. Além disso, a arrecadação com Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) subiu 9,72%, chegando a R$ 2,85 bilhões. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade