Publicidade

Correio Braziliense

BNDES lança edital para gerenciadora de programa de aceleração de startups

Previsão de investimento inicial é de R$ 10 milhões para a seleção de 120 novas empresas e já existentes para participarem do projeto chamado BNDES Garagem entre 2018 e 2019


postado em 05/07/2018 13:40

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lança nesta quinta-feira (05/07) o BNDES Garagem, um programa piloto para o suporte para novas empresas, as chamadas startups, que terá um espaço que será montado no Rio de Janeiro em parceria com uma empresa aceleradora que será selecionada via edital de chamada pública. A previsão do investimento inicial é de R$ 10 milhões e tem como objetivo gerenciar os projetos para criar 60 startups com seus respectivos produtos assim como acelerar outras 60 startups já constituídas neste ano e em 2019. 

O edital estará disponível no site do banco a partir de amanhã e as propostas deverão ser encaminhadas até 31 de julho. Neste ano ano, a primeira etapa focará  60 startups que serão apoiadas e o mesmo número está previsto para 2019, totalizando 120 startups nesse projeto piloto. O foco para a seleção dessas empresas será nas áreas de educação, saúde, segurança, soluções financeiras, economia criativa, meio ambiente e internet das coisas (IoT, na sigla em inglês).

“O que estamos fazendo hoje é lançamento do edital para a seleção da empresa que vai selecionar empresas e gerenciar esse centro que será montado para o desenvolvimento dessas novas empresas. O espaço físico será ocupado por essas startups a partir de novembro”, destacou o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira. Segundo ele, haverá uma segunda chamada para um investimento maior a partir do resultado desse piloto.

O executivo destacou que essa iniciativa é parte da estratégia de diversificação do banco no desenvolvimento de pequenas empresas. “Essa medida marca a mudança do foco do BNDES iniciada desde o início do ano. Nesse período, 50,7% do desembolso da instituição realizado no ano foi destinado para pequenas e médias empresas, o equivalente a R$ 10 bilhões a R$ 11 bilhões”, destacou Oliveira.

A segunda etapa de seleção das outras  60 startups será realizada a partir de setembro de 2019, de acordo com o gerente do BNDES, Bruno Aranha. Segundo ele e Oliveira, a ideia é que a infraestrutura dessa "garagem" que será destinada para o desenvolvimento das startups possa ser instalada no centro do Rio, provavelmente, no Porto Maravilha, que foi revitalizado recentemente na capital fluminense.  

Oliveira reforçou que o banco tem uma serie de produtos que essas empresas poderão acessar, como o fundo de venture capital e o fundo anjo. Ao todo, trata-se de um universo de 37 fundos que a instituição financeira participa com R$ 3 bilhões e que possuem um patrimônio total de R$ 16 bilhões.  “Nosso objetivo é trazer todos os agentes interessados para interagir com essas empresas e levar o negócio adiante. O banco, portanto, já tem produtos adequados para acelerar essas empresas”, afirmou Oliveira. Ele acrescentou que, nesse sentido,  o objetivo do BNDES é desenvolver os negócios do banco vai criar um espaço para colocar seus produtos para essas empresas que, futuramente, poderão ser grandes clientes da instituição. “Essa é uma estratégia de novos negócios do banco e não há vinculação obrigatória do empreendedor para adquirir produtos do banco ou venda de participação da empresa para o BNDES”, explicou. “Vamos identificar empresas com maior potencial de desenvolvimento e, com certeza, essas empresas devem criar oportunidades de negócio muito relevantes”, emendou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade