Publicidade

Correio Braziliense

Guerra comercial EUA-China ameaça Brasil, segundo Aloysio Nunes

A China é o primeiro parceiro comercial do Brasil e os Estados Unidos, o segundo, tanto em importações como em exportações


postado em 13/07/2018 20:42

(foto: Thomas Peter/AFP / POOL)
(foto: Thomas Peter/AFP / POOL)

 
Uma guerra comercial entre Estados Unidos e China pode prejudicar o Brasil, apesar de em um primeiro momento gerar alguns benefícios, avaliou nesta sexta-feira o chanceler Aloysio Nunes sobre a disputa entre os dois principais sócios comerciais do país.

"Essa guerra vai levar à diminuição do ritmo de crescimento da economia mundial, e o país que quer, cada vez mais, se inserir no mercado mundial vê as suas oportunidades minguarem".

"As implicações de uma guerra comercial são muito ruins para o mundo, especialmente para um país em desenvolvimento como o nosso, que precisa ter acesso a mercados, que precisa ter intercâmbio comercial e de investimento maior", declarou Aloysio Nunes, citado pela Agência Brasil, em uma reunião com empresários em São Paulo.

Para o chanceler, o comércio exterior precisa de regras e normas estáveis, "que não dependam do humor desse ou daquele governante", além do fortalecimento da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Vários analistas afirmam que os exportadores brasileiros de produtos agrícolas poderão se beneficiar com um fechamento do mercado chinês às exportações dos Estados Unidos.

A China é o primeiro parceiro comercial do Brasil e os Estados Unidos, o segundo, tanto em importações como em exportações.

A própria China defendeu nesta sexta-feira, 13/7, o incremento da cooperação com o grupo BRICS de potências emergentes (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) no contexto dos crescentes atritos econômicos e comerciais com a maior economia do planeta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade