Publicidade

Correio Braziliense

Inflação para famílias de renda mais baixa ficou menor em julho, diz Ipea

O baixo nível da inflação para o grupo mais vulnerável é impulsionado pela deflação de alimentos no domicílio


postado em 21/08/2018 11:35

A inflação para as famílias de baixa renda ficou menor em julho, segundo indicador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Registrou taxa de 0,26% no mês. Aos mais ricos, o índice foi de 0,38%. Os dados foram divulgados na manhã desta terça-feira (21/8). 

O baixo nível da inflação para o grupo mais vulnerável é impulsionado pela deflação de alimentos no domicílio. Caiu 0,6% no mês pesquisado. Os preços dos supermercados estavam elevados por conta do choque ocasionado pela greve dos caminhoneiros.  Com o fim dos impactos, o quadro inflacionário de junho se reverteu. Apesar disso, houve alta da energia elétrica (5,3%) e do ônibus urbano (1,5%. 

As classes mais ricas sofreram com a alta das passagens aéreas e da alimentação fora de casa, que subiram 44% e 0,7%, respectivamente. De janeiro a julho, a inflação maior para o grupo mais abastado ocorreu pelo comportamento da gasolina (11%), das mensalidades escolares (5,5%) e dos planos de saúde (6,9%).

No acumulado de 12 meses, enquanto a inflação das classes mais baixas subiu para 3,45%, a dos mais ricos variou 5,17%. 

A pesquisa do Ipea são baseadas em dados do Sistema Nacional de Índice de Preços ao Consumidor (SNIPC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

   

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade