Publicidade

Correio Braziliense

Brasil e Argentina fecham acordo para regular setor automotivo

Memorando estabelece um cronograma 180 dias para que os países unifiquem as especificações técnicas relativas à segurança. Depois, serão feitos trabalhos em outras áreas como emissões sonoras e de gases poluentes, eficiência energética e autopeças


postado em 24/08/2018 15:09

(foto: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)
(foto: Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)

Os ministros das Relações Exteriores, Aloysio Nunes; da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), Marcos Jorge; e da Produção da Argentina, Dante Sica, assinaram nesta sexta-feira (24/08) um memorando de entendimento que estabelece as bases para a convergência regulatória no setor automotivo, unificando as regras técnicas de produção do setor automotivo para veículos leves e pesados.

O memorando prevê criação de um Grupo de Trabalho de Regulamentos Técnicos Automotivos para acompanhar a homologação doméstica dos veículos em quatro categorias  segurança, emissões sonoras e de gases poluentes, eficiência energética e autopeças) e identificar divergências e correspondências que apresentem os regulamentos técnicos. O documento estabelece um cronograma de 180 dias para que os países unifiquem as especificações técnicas relativas à segurança, emissões sonoras e de gases poluentes, eficiência energética e autopeças. No entanto, segundo os técnicos do governo, a expectativa é que, em seis meses, apenas a convergência das regras do segurança sejam concluídas, pois envolve 31 itens que serão padronizados pelo primeiro grupo de trabalho. Portanto, serão necessários pelo menos para que essa convergência seja ampliada para todos os itens previstos nos veículos dos dois países.

“(O acordo) Vai possibilitar que nossas equipes de ambos os lados comecem os trabalhos para a convergência regulatória para termos simulares para veículos automotivos, inicialmente, em segurança e freios depois tende a evoluir nos demais itens embarcados”, destacou o ministro Marcos Jorge. Ele lembrou que o setor automotivo representa 4% do Produto Interno Bruto Brasileiro (PIB) e esse memorando tem como objetivo atrair mais investimentos para o setor porque ele visa facilitar o comércio entre os dois países. A ideia, segundo ele, é ampliar esse acordo de convergência das regras do setor automotivo para outros países, como os integrantes da Aliança do Pacífico: Peru, Colômbia, Chile e México.

O ministro argentino destacou que esse grupo de trabalho dará sequência ao acordo assinado entre os presidentes Michel Temer e Mauricio Macri em 2017 para eliminar as barreiras comerciais entre os dois países não apenas para o setor automotivo, mas também no de alimentos. “Creio que é o início de um caminho de muito trabalho para os próximos anos no sentido da convergência regulatória”, resumiu Dante Sica.

O ministro Aloysio Nunes lembrou que a Argentina é um dos maiores parceiros comerciais do país e os dois governos bem trabalhando em busca de eliminar barreiras e facilitar o comércio bilateral e a integração das cadeias de valores. “Esse acordo vai diretamente nessa direção para que os regulamentos técnicos a segurança sobre qualidade que possa convergir em uma grande questão do Mercosul para o incrementarmos o fluxo de comércio”, afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade