Publicidade

Correio Braziliense

Governo lança linha de R$ 3 mi contra desperdício de alimentos

Estima-se que cerca de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são perdidos no mundo, anualmente, o que equivale a 30% da produção global


postado em 25/08/2018 16:49 / atualizado em 25/08/2018 16:58

(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
 

 

O governo federal lançou, neste sábado (25/8) uma linha de crédito que disponibiliza R$ 3 milhões para ações contra o desperdício de alimentos que sejam implementadas na região Sul. A medida foi consolidada por meio de um Acordo de Cooperação Técnica entre o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e o Banco Regional do Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), assinado durante o primeiro dia da 41ª Expointer, realizada em Esteio (RS). O recurso está disponível para cooperativas, agricultores familiares e outros agentes da cadeia produtiva do agronegócio, tem vigência de 24 meses e cada Estado tem direito a R$ 1 milhão.

O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, disse que a solução está alinhada a parâmetros ambientais focados em reduzir os prejuízos no campo e na distribuição. "Este é o primeiro passo para diminuir as perdas de alimentos, auxiliando o produtor. O Brasil não pode mais ter prejuízos quando ainda há a fome no País", afirmou, conforme nota divulgada pela assessoria do evento gaúcho. O acordo deve ser publicado no Diário Oficial da União (DOU) até o quinto dia útil do mês de setembro.

Ainda segundo o comunicado, estima-se que cerca de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são perdidas no mundo, anualmente, o que equivale a 30% da produção global.

Agricultura familiar

Outro destaque da Expointer foi o início da Feira da Agricultura Familiar, um pavilhão de produtos artesanais feitos por pequenos produtores que, em 2017, respondeu pelo faturamento de R$ 2,8 milhões em vendas. Neste ano, o segmento apresenta o trabalho de 1.350 famílias vindas de 106 municípios do Rio Grande do Sul.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade