Publicidade

Correio Braziliense

Depois da alta da gasolina, preço do etanol dispara nos postos

O litro, que era encontrado em alguns postos do Distrito Federal a R$ 3,09, agora, varia de R$ 3,29 a R$ 3,49


postado em 12/10/2018 06:00

(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)

Com o preço da gasolina em alta, a demanda pelo etanol cresceu e, ao longo da semana, o valor do produto, também. O litro, que era encontrado em alguns postos do Distrito Federal a R$ 3,09, agora, varia de R$ 3,29 a R$ 3,49. Pesquisa do Correio em 30 estabelecimentos mostra que a gasolina é vendida entre R$ 4,69 e R$ 5,01.

Segundo o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e de Lubrificantes do Distrito Federal (Sindicombustíveis DF), Paulo Tavares, as principais explicações para a alta do etanol tem base em dois fatores: a diminuição da safra de açúcar, que fez com que as distribuidoras tenham menos produtos em estoque, e o valor da gasolina, que está alto. “Desde 3 de setembro, o preço do etanol oscila. O valor cobrado nas distribuidoras passou de R$ 1,78 para R$ 1,92 e essa alta está sendo repassada para o consumidor”, explicou.

 

 


Segundo o gerente de um posto de combustíveis na Estrada Parque Taguatinga (EPTG), Marcelo Macedo, no posto em que trabalha, o preço do etanol subiu três vezes nesta semana. Apesar da reclamação dos clientes, ele explica: “O valor do produto fica variando na nota e eu preciso repassar, se não fico prejudicado, pois o nosso lucro é de centavos. Corremos perigo de as contas não fecharem no fim do mês”, afirmou.

A assessoria da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) afirma que “embora o etanol tenha aumentado nos postos, ainda continua muito competitivo”. Segundo o relatório semanal dos preços dos combustíveis disponibilizado pela instituição, vale mais a pena para o consumidor abastecer com etanol, quando comparamos a média dos preços da gasolina e do álcool nos postos.

De acordo com o presidente do Sindicombustíveis, o valor da gasolina está alto, mesmo com a redução de preços anunciada pela Petrobras, porque o álcool anidro, que é o ativador da gasolina, está caro. “Com o anidro em alta há alguns meses, não é possível que o dono de um posto diminua o valor do combustível, ele pode ficar muito prejudicado”, acrescentou.

*Estagiária sob supervisão de Rozane Oliveira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade