Publicidade

Correio Braziliense

Produção industrial tem o pior índice de crescimento em novembro desde 2015

Os números divulgados, na manhã desta terça-feira (8/1), mostram que o resultado ocorre após quatro meses de taxas negativas consecutivas


postado em 08/01/2019 10:12

O setor que mais caiu em novembro na comparação com outubro foi o de veículos (-4,2%)(foto: Mitsubishi/Divulgação)
O setor que mais caiu em novembro na comparação com outubro foi o de veículos (-4,2%) (foto: Mitsubishi/Divulgação)

A produção da indústria cresceu 0,1% em novembro, na comparação com outubro, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os números divulgados, na manhã desta terça-feira (8/1), mostram que o resultado ocorre após quatro meses de taxas negativas consecutivas. Mesmo assim, ainda é o pior índice para novembro desde 2015.

No acumulado do ano, a atividade da indústria atingiu 1,5%. Em outubro, o IBGE havia divulgado que a produção cresceu 0,2%, mas atualizou a taxa para -0,1%. O gerente da pesquisa, André Macedo, explicou que o resultado foi insuficiente para recuperar a queda de 2,8% acumulada nos quatro meses anteriores. “O índice ficou próximo à estabilidade e, entre as atividades, houve mais taxas negativas que positivas”, informou. 

O setor que mais caiu em novembro na comparação com outubro foi o de veículos (-4,2%). 

“Particularmente em novembro, a atividade foi prejudicada pela diminuição na produção de automóveis. No entanto, a atividade segue positiva no acumulado no ano, tendo, inclusive, registrado, nessa comparação, a maior influência positiva entre as atividades pesquisadas”, explicou André.

Do lado positivo, o setor de alimentos subiu 5,9% na comparação com outubro. Entre as quatro grandes categorias econômicas, apenas Bens Intermediários cresceu no período, com alta de 0,7%, enquanto Bens de Consumo Duráveis (-3,4%) e de Bens de Capital (-2,7%) mostraram resultados negativos. Bens de Consumo Semi e Não Duráveis ficou estável (0%).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade