Publicidade

Correio Braziliense

Doria se diz favorável ao regime de capitalização na reforma da Previdência

ara evitar polêmica em relação aos militares, governador não respondeu se concorda com o regime de aposentadoria diferenciado


postado em 10/01/2019 17:26 / atualizado em 10/01/2019 17:28

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
 

O governador de São Paulo, João Doria, que esteve reunido com o presidente Jair Bolsonaro, disse que conversou sobre a reforma da Previdência para manifestar apoio da bancada de São Paulo, mas falou que não fez perguntas sobre o conteúdo da proposta, que deverá ser divulgado nas próximas semanas.


O tucano disse ser favorável ao sistema de capitalização defendido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Para evitar polêmica em relação aos militares, não respondeu se concorda com o regime de aposentadoria diferenciado para policiais militares e ponderou que é preciso aguardar a decisão o governo sobre o tema.

Alguns secretários do governo de São Paulo também participaram da conversa com Bolsonaro, entre eles Henrique Meirelles (Economia), ex-ministro da Fazenda no governo Michel Temer. A proposta de Temer servirá como base para a de Bolsonaro no Congresso.

Segundo Doria, a maioria expressiva dos deputados e senadores do PSDB deve ser favorável ao projeto, mas ainda precisarão ver os termos que serão estabelecidos por Bolsonaro e sua equipe econômica para decidir a posição no Congresso.

Sobre o partido, Doria disse que o candidato ao comando do PSDB é o deputado Bruno Araújo (PE), que não foi reeleito. Doria destacou que o atual presidente da sigla, Geraldo Alckmin, não quer continuar no posto e que tem "convicção" de que Araújo será eleito como seu sucessor.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade