Publicidade

Correio Braziliense

Ministro da Infraestrutura: decisão sobre extinguir Valec 'não está tomada'

Presente em audiência na comissão de infraestrutura do Senado, Tarcísio Gomes de Freitas foi indagado pelos parlamentares sobre futuro da estatal ferroviária por pressão dos servidores


postado em 26/02/2019 18:23

Servidores da Valec protestaram contra extinção da estatal ferroviária nesta terça-feira(foto: Simone Kafruni/CB/D.A Press)
Servidores da Valec protestaram contra extinção da estatal ferroviária nesta terça-feira (foto: Simone Kafruni/CB/D.A Press)
 
Após mais uma manifestação dos servidores da Valec, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, destacou que não há decisão tomada sobre a extinção da estatal ferroviária. No entanto, na apresentação que o ministro fez, nesta terça-feira (26/2), durante a audiência na Comissão de Infraestrutura do Senado, consta a “liquidação” da Valec, da Rede Ferroviária Federal (RFFSA) e da Companhia Docas do Maranhão (Codomar), no slide das ações para os 100 dias de governo.

Freitas admitiu que o governo precisa fazer exercícios de enxugamento porque está com espaço fiscal pequeno. “Há duplicidade na missão da Valec e do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportres). Temos que ver a questão custo-benefício. Mas não vamos encaminhar nada no momento”, ressaltou. 

O ministro foi questionado por vários senadores sobre o assunto diante da pressão dos servidores da Valec, que, desde a semana passada, estão realizando protestos contra a possível extinção da estatal ferroviária. Nesta terça-feira (26/2), a manifestação partiu da sede da companhia, na L2, pela Esplanada, e chegou ao Congresso Nacional momentos antes da chegada do ministro na audiência, na qual iria “apresentar as diretrizes e prioridades da pasta”.

Freitas destacou que o governo vai estudar alternativas para aproveitar os melhores quadros da Valec. “Vamos fazer com que esses caras nos ajudem. Essas questões vão ser estudadas com muito carinho e muito respeito. Não há nenhuma intenção de liquidar. Existe, sim, uma necessidade de enxugar a máquina pública e eliminar sombreamentos”, reiterou.

Segundo o ministro, há muita gente no ministério estudando brechas para ver o que é possível fazer. “Vamos agir sem pressa. Existem tarefas importantes a cargo da Valec. Além disso, estamos prontos para o diálogo. Também sou servidor de carreira e não tenho interesse nenhum de passar por cima de ninguém”, assinalou. 

Freitas reconheceu várias vezes, no entanto, que é preciso otimizar recursos. Ele lembrou ainda que os servidores acabam pagando pelo que aconteceu na empresa ao longo do tempo. A Valec foi alvo de corrupção e teve dirigentes presos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade