Publicidade

Correio Braziliense

Fluxo de veículos leves e pesados foi 0,5% menor em fevereiro

Índice ABCR teve retração de 0,4% no mês passado. Resultado foi impactado pelo "efeito calendário", por conta do carnaval, diz Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias


postado em 11/03/2019 13:54 / atualizado em 11/03/2019 13:54

Fluxo de carros na avenida principal de São Sebastião-DF(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Fluxo de carros na avenida principal de São Sebastião-DF (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

 

O índice ABCR de atividade referente a fevereiro de 2019 apresentou regressão de 0,4% no comparativo com o mês anterior, conforme os dados dessazonalizados. O índice que mede o fluxo pedagiado de veículos nas estradas é construído pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), juntamente com a Tendências Consultoria Integrada.


"Os resultados dos indicadores de fluxo foram afetados com a mudança da data do feriado de carnaval deste ano em relação ao anterior. Em 2019, o feriado estendido iniciou em março, diferente de 2018, quando ocorreu ainda em fevereiro", explica Thiago Xavier, analista da Tendências Consultoria. "Tal efeito calendário impactou de modo distinto o desempenho de leves e pesados, sendo percebido, sobretudo, na métrica interanual", complementa.


"Nos últimos doze meses, quanto aos leves, houve uma queda do fluxo, já que parte das viagens festivas ocorre em março; já os pesados apresentaram crescimento, uma vez que o maior número de dias úteis de funcionamento da indústria e comércio beneficiou o transporte pesado de cargas", diz o analista.


Devolução


Apesar da leve queda no índice, o analista observa o resultado do mês como um indicador da devolução parcial dos ganhos observados no mês anterior. "Tal quadro é compatível com o ritmo ainda lento de retomada da atividade econômica no início deste ano", comenta.


Em relação ao mesmo período de 2018, o índice total variou positivamente 0,4%. O fluxo pedagiado de veículos leves registrou queda de 2,3%, enquanto o fluxo de pesados teve avanço de 7,7%. Dessa forma, nos últimos doze meses, houve contração do índice total de 2,0%, exclusivamente ditado pela queda de 2,9% de leves, a despeito da elevação de 0,6% dos veículos pesados.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade