Publicidade

Correio Braziliense

Setor de serviços tem melhor resultado desde abril de 2015, diz IBGE

Área recuou 0,3% no primeiro mês do ano, na comparação com dezembro de 2018


postado em 15/03/2019 09:35

O segmento de transportes caiu 0,6% em janeiro, frente a dezembro de 2018(foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
O segmento de transportes caiu 0,6% em janeiro, frente a dezembro de 2018 (foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

 
O setor de serviços recuou 0,3% no primeiro mês do ano, na comparação com dezembro de 2018. Apesar disso, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados na manhã desta sexta-feira (15/3), o volume melhorou no acumulado de 12 meses, passando de 0% em dezembro para 0,3% em janeiro. 

Este é o melhor resultado desde abril de 2015. Em comparação com janeiro de 2018, o setor subiu 2,1%, registrando a maior taxa desde março de 2015 (2,3%). 

Segundo o IBGE, a ligeira variação negativa de 0,3% em janeiro, frente a dezembro, foi puxada pela queda em duas das cinco atividades pesquisadas: transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-0,6%) e serviços de informação e comunicação (-0,2%). As duas representam 63% de todo o setor de serviços. Os serviços de transportes registram a segunda taxa negativa consecutiva. 

Do restante, houve expansão: setores de serviços profissionais, administrativos e complementares (1,7%), outros serviços (4,8%), serviços prestados às famílias (1,1%). “Em uma análise mais ampla, essa ligeira queda no resultado mensal não chegou a anular a média que se acumulou entre novembro de 2018 e janeiro deste ano”, disse o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo, em comunicado. 

Turismo


O índice de atividades turísticas avançou 3,2% entre de dezembro de 2018 para janeiro de 2019, interrompendo uma sequência de quatro taxas negativas seguidas — período em que acumulou perda de 2,9%. Sete das doze unidades da federação acompanharam este movimento de crescimento observado no Brasil, com destaque para o avanço vindo de São Paulo (4,1%). 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade