Publicidade

Correio Braziliense

Embraer anuncia Francisco Gomes Neto para presidência da empresa

Atual presidente da Marcopolo, o indicado ainda precisa ter o nome aprovado pelo conselho de administração da empresa, o que ocorrerá após a assembleia geral ordinária, em 22 de abril


postado em 09/04/2019 13:23 / atualizado em 09/04/2019 18:40

(foto: Roslan Rahman/AFP)
(foto: Roslan Rahman/AFP)


A fabricante brasileira de aeronaves Embraer indicou o atual CEO da Marcopolo, Francisco Gomes Neto, para a presidência da companhia. O nome ainda precisa ser aprovado pelo conselho de administração, o que de deve ocorrer depois da assembleia geral de acionistas, marcada para 22 de abril. 

Segundo a Embraer, Gomes Neto é graduado em engenharia elétrica, com especialização em administração de empresas e MBA em controladoria e finanças, e desenvolveu carreira na indústria automotiva em posições de diretoria nos últimos 20 anos no Brasil e nos Estados Unidos. Nos últimos três anos, atuou como CEO do grupo Marcopolo, no qual liderou o processo de transformação da companhia, gerando crescimento de vendas e valor de mercado do negócio. 

“Com vasta vivência internacional e foco na gestão de empresas do setor industrial, tenho certeza que Francisco Gomes Neto tem o perfil e competências certas para liderar a Embraer nesse momento de transformação da empresa e do setor aeronáutico global”, afirma Alexandre Silva, presidente do conselho de administração da Embraer, sobre a indicação.

A Marcopolo informou que o executivo apresentou pedido de renúncia e ficará no cargo de diretor geral até 30 de abril. O presidente do conselho de administração da fabricante de carrocerias de ônibus, James Eduardo Bellini, ocupará interinamente o cargo. 

Acordo

O atual presidente da Embraer, Paulo Cesar de Souza e Silva, está há três anos no cargo, mas a companhia já anunciou que a saída dele está prevista para 22 de abril. Depois, atuará como sênior advisor do conselho de administração no processo de integração do novo presidente e no acompanhamento da segregação de ativos e recursos da aviação comercial até a conclusão das negociações com a Boeing.

A Embraer vai vender 80% da divisão comercial por US$ 4,2 bilhões para a gigante norte-americana. O acordo ainda precisa de aprovação de órgãos regulatórios. As duas empresas também devem fazer uma joint venture específica para comercializar o KC-390, avião para transporte tático, logístico e de reabastecimento em voo, desenvolvido e fabricado pela Embraer Defesa e Segurança.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade