Publicidade

Correio Braziliense

Caixa lança cartão de crédito consignado com taxa de 2,85% ao mês

Produto começa a ser vendido nas agências de Brasília, mas será ampliado para todo o país a partir de junho. Banco busca ampliar diversificação e também corte de gastos


postado em 15/04/2019 11:43

(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
A Caixa Econômica Federal iniciou, nesta segunda-feira (15/4), a comercialização do cartão de crédito consignado. Inicialmente, o produto será destinado aos beneficiários do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), mas, a partir de junho, a meta da instituição é estender o cartão consignado para servidores federais, estaduais e municipais e também para funcionários de empresas e órgãos públicos conveniados à Caixa. A taxa de juros mensal do cartão será de 2,85% e o limite de crédito pode ser 1,4 vezes o valor do benefício. 

O cartão não tem cobrança de anuidade e pode ser utilizado no exterior . Pelas estimativas da instituição, 21 milhões de aposentados e pensionistas do INSS não possuem cartão consignado, mas o público-alvo que a Caixa pretende atingir chega a 33 milhões se forem incluindo os demais servidores. Primeiramente, esse cartão será comercializado nas 110 agências da Caixa no Distrito Federal, e, a partir de junho, a venda será estendida para as 4.170 mil agências e postos de atendimento do banco em todo o país. 

O banco também pretende usar a rede de 13 mil lotéricas e 8,5 mil correspondentes bancários para comercializar o novo produto a partir de junho. “Nossa meta é chegar a, no mínimo, 10 milhões em quatro anos. Não há possibilidade de ter menos de 10 milhões. Queremos mais”, afirmou Pedro Guimarães, presidente da Caixa, acrescentando que o produto levou apenas dois meses para ser idealizado e colocado no mercado. Segundo ele, menos de 10% das lotéricas comercializam produtos do banco, como capitalização e microsseguro, e a meta é ampliar essa receita conjunta. "O parceiro não é obrigado a vender o produto, mas será uma receita extra para os correspondentes bancários e lotéricas. Se houver um custo adicional, estaremos dispostos a negociar", afirmou.

De acordo com o vice-presidente de Produtos de Varejo, Júlio Volpp, se essa meta de 10 milhões for atingida, a expectativa é que o volume da carteira ativa chegue a R$ 15 bilhões. O banco negocia com outras operadoras de cartão de crédito para ampliar a oferta. “O cartão não possui anuidade e a margem consignável é de 5% do valor do benefício para esse tipo de operação. A bandeira do plástico inicial será Elo Max, permitindo aos clientes a plataforma de desconto e de serviços da operadora, mas pretendemos estender para outras companhias para dar mais opção ao cliente”, afirmou.

Diversificação e corte de custos

O presidente da Caixa explicou que o cartão consignado faz parte do programa de diversificação do banco com produtos voltados à população de baixa renda. Segundo ele, 96 milhões de clientes do banco possuem cartão de débito, mas apenas 5 milhões usam cartão de crédito. O executivo adiantou também que o banco está em processo de redução de custos e busca de novos produtos para ampliar receitas.

A previsão de Guimarães é que, dentro de dois meses, o banco também fará uma licitação para a contratação de um parceiro para o fornecimento de máquinas de cartão de crédito, as adquirentes. “Sem essa operação, o banco perde R$ 1 bilhão por ano”, afirmou Guimarães, acrescentando que uma das metas é melhorar a gestão do banco. “Estamos reduzindo custos com aluguel. Apenas na Avenida Paulista, tínhamos sete prédios alugados e conseguimos mudar para um por um preço menor, de R$ 52 o metro quadrado. Temos 15 prédios em Brasília, sendo que quatro eram para terceirizados, e estamos estudando reduzir essa despesa também”, afirmou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade