Publicidade

Correio Braziliense

Para agradar caminhoneiros, governo anuncia linha de crédito de R$ 500 mi

Além das linhas de financiamento, ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, diz que vai investir R$ 2 bilhões na conclusão de obras e manutenção de estradas


postado em 16/04/2019 11:42

Protesto de caminhoneiros em Brasília, no ano passado(foto: Luis Nova/Esp.CB/D.A Press)
Protesto de caminhoneiros em Brasília, no ano passado (foto: Luis Nova/Esp.CB/D.A Press)
O governo federal anunciou, nesta terça-feira (16/4), uma linha de crédito específica para os caminhoneiros autônomos de até R$ 30 mil para a compra de pneus e manutenção dos veículos. O total liberado será de R$ 500 milhões. "Essa linha de crédito está sendo desenhada pelo BNDES (Banco nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e vai ser distribuída em todo o Brasil por meio do sistema bancário brasileiro", disse o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. 

O crédito, que faz parte de uma série de medidas que busca evitar nova paralisação dos caminhoneiros, vai começar prelo Banco do Brasil e pela Caixa Econômica Federal e, depois, irá para os demais bancos e cooperativas de crédito. "O objetivo é permitir que o autônomo tenha acesso a esse importante instrumento. Nós temos recolhido, principalmente por observações de blitze da PRF (Polícia Rodoviária Federal) que é um problema bastante sério a qualidade do rodado desses caminhões. E isso impacta a segurança do motorista e dos usuários das rodovias brasileiras”, afirmou.

Onyx ressaltou que o governo do presidente Jair Bolsonaro vem trabalhando desde o início do ano para poder melhorar as condições de operação e trabalho dos caminhoneiros brasileiros. “O presidente sempre teve, na sua vida parlamentar, muita proximidade com os caminhoneiros autônomos. E ao longo da campanha eleitoral assumiu compromissos de dar melhores condições de trabalho, respeito e valorização a essa importante categoria”, disse.

Além do ministro-chefe da Casa Civil, participam do anúncio Floriano Peixoto, ministro-chefe da Secretaria-Geral, Tarcísio de Freitas, ministro da Infraestrutura, e Augusto Heleno - ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Manutenção de estradas

Freitas ressaltou que o governo procurou estreitar o diálogo com a categoria. “Estamos desenvolvendo um programa voltado para a categoria com o objetivo de melhorar a condição de vida dos caminhoneiros e da família”, disse.

Entre as medidas estão discutir o frete, fortalecer a proximidade da categoria entre governo e setor, simplificar operações de transporte, desburocratizar e reduzir intermediários, além de melhorar as condições das estradas. “Estamos destinando R$ 2 bilhões para conclusão de obras e manutenção”, anunciou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade