Publicidade

Correio Braziliense

Governo anuncia que renovação da CNH do caminhoneiro será de 10 em 10 anos

Governo se reúne à tarde para discutir a questão do preço do diesel. Tabela de fretes ainda está em consulta pública.


postado em 16/04/2019 12:03

(foto: Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)

A discussão sobre o preço do diesel ficou para a tarde de hoje, afirmou, na manhã desta terça-feira (16/4), o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, durante anúncio das medidas para os caminhoneiros. A desburocratização é uma iniciativa importante e vamos aumentar a renovação da carteira de motorista de cinco para 10 anos, ressaltou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. 

“Quando a gente fala na mudança das regras da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) isso tem a ver com a demanda dos caminhoneiros. A finalidade é diminuir custo. Tornar a vida do caminhoneiro mais fácil e mais barata”, destacou. Segundo Freitas, não há razão orgânica, em função do aumento da expectativa de vida, de realizar exames a cada cinco anos.

Outra medida, já anunciada, foi o cartão combustível, que está sendo estudado e vai ser disponibilizado em breve, conforme o ministro. “Temos duas formas de garantir o valor do frete. Uma é indexar ao aumento do diesel e outra é o cartão caminhoneiro, que dará o crédito para garantir o preço do diesel naquele frete”, ressaltou. Isso vai previsibilidade e mitigar o impacto da volatilidade do combustível.

Sobre o tabelamento de frete, o governo disse que o principal esforço é construir uma referência de piso que seja aceita por todos. “Estamos colocando em consulta pública e vamos discutir com todos os envolvidos, com embarcadores e transportadores. modelar o frete não é simples”, afirmou Freitas.

Conforme o ministro, a tabela está sendo construída de forma bastante técnica. “É um trabalho profundo feito pela Universidade de São Paulo. São eles que tem a maior base de dados de volume de cargas no Brasil. Estão sendo avaliados número de cargas, custos , depreciação, remuneração do capital, mão de obra do motorista, taxas, seguros, riscos e o custo dos combustíveis”, ressaltou.

Questionados sobre o preço do diesel, os ministros reiteraram que a discussão sobre o tema será feita em uma reunião à tarde.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade