Publicidade

Correio Braziliense

Avianca promete reembolso a quem teve voo cancelado nos últimos dias

Caso o passageiro tenha comprado via agências de viagem, deve entrar em contato diretamente com essas empresas


postado em 17/04/2019 06:00 / atualizado em 17/04/2019 12:34

As irmãs Estefânia e Giovanna: voo da Avianca para Recife, em julho(foto: Beatriz Roscoe/Esp. CB/D.A Press )
As irmãs Estefânia e Giovanna: voo da Avianca para Recife, em julho (foto: Beatriz Roscoe/Esp. CB/D.A Press )

A Avianca tem instruído passageiros com bilhetes da companhia a verificar o status do voo no site da empresa com 72 horas de antecedência do horário programado para o embarque. Se o voo estiver na lista, e o consumidor tiver comprado a passagem nos canais diretos da Avianca Brasil (site, aplicativo, call center ou lojas), a companhia afirma que entrará em contato para oferecer reembolso ou reacomodação. Caso o passageiro tenha comprado via agências de viagem, deve entrar em contato diretamente com essas empresas. Se o voo não estiver listado no site, a Avianca afirma que não será necessária nenhuma ação e confirma que a viagem será mantida conforme o programado.

Desde segunda-feira, mais de 300 voos da companhia aérea foram cancelados. A empresa teve sua frota reduzida após  decisões judiciais que determinaram a devolução de aviões por falta de pagamento de aluguel das aeronaves.

O Procon-DF aconselha o passageiro a seguir as instruções da companhia, como primeira medida. Quem já estiver no aeroporto e for surpreendido com a informação, deve se dirigir primeiramente à empresa, que pode remanejar e realocar o passageiro. Caso não se sinta atendido, deve registrar queixa junto à Anac. “Se o passageiro tomar todas essas medidas e não estiver satisfeito, pode registrar queixa no Portal do Consumidor e também procurar o Procon de seu estado para que o órgão adote as mudanças cabíveis. Por fim, o consumidor pode procurar o juizado especial para danos morais e materiais, se nenhuma solução for apresentada”, explica Marcelo Nascimento, diretor-geral do Procon-DF.

De acordo com a Secretaria Nacional do Consumidor, em  caso de cancelamento, o ideal é que o consumidor empregue o máximo de meios disponíveis para contornar a situação, mas o órgão também sugere consultar a  consumidor.gov.br, cujo objetivo é buscar solução consensual de conflitos entre consumidores e fornecedores.

De acordo com as agências de turismo CVC e Submarino Viagens, o consumidor que comprou passagens por meio das empresas não precisa realizar nenhum procedimento. A Avianca avisa  as empresas antecipadamente e as agências se encarregam dos remanejamentos.  

 As irmãs Estefânia, de 42 anos, e Giovanna Alves Figueiredo, 40, têm passagens para Recife em Julho, em um voo cancelado. “Eles disseram que a única taxa que reembolsariam hoje seria a de embarque, de R$ 62 e pedem para esperarmos até a semana do voo para confirmar o cancelamento. Mas lamentam que, agora, os preços com outras companhias já estão altos.

*Estagiária sob supervisão de Cláudia Dianni

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade