Publicidade

Correio Braziliense

Guerra de sistemas operacionais: Gates reconhece derrota contra Google

Em encontro com especialistas do setor, bilionário admite que a Microsoft ficou para trás na concorrência com Android no mercado de smartphones


postado em 25/06/2019 06:00 / atualizado em 25/06/2019 00:33

(foto: AFP / SIMON MAINA)
(foto: AFP / SIMON MAINA)
São Paulo – Não é todo dia que grandes executivos e empresários reconhecem seus erros publicamente. Principalmente se for um dos homens mais ricos do mundo. Mas o bilionário Bill Gates, fundador da Microsoft, fez isso no fim de semana, em evento organizado pela empresa ventura capital Village Global.


“O maior erro de todos os tempos foi alguma falha de gestão da minha parte que fez a Microsoft não ser o que o Android é hoje. Ou seja, o Android é a plataforma padrão para celulares que não são da Apple. Era algo natural para a Microsoft conquistar”, afirmou Gates, em entrevista publicada pelo site The Verge. “Perdemos o momento certo para desenvolver o melhor sistema operacional que poderia existir, e ficamos para trás na disputa com nossos concorrentes.”


A defasagem tecnológica da gigante da tecnologia no mercado de smartphones e tablets é, realmente, um questionamento permanente entre especialistas em tecnologia. O histórico e o porte da Microsoft no desenvolvimento de softwares dariam condições para a companhia ter grande participação no mercado de smartphones ou mesmo liderar o setor. “O foco da Microsoft em computadores pessoais tirou a empresa de um segmento que há 10 anos era negligenciado”, diz o consultor de tecnologia Conrad Mandel.


De fato, assim como o Windows é o sistema operacional mais usado do mundo nos computadores pessoais, um sistema operacional da Microsoft é que deveria, naturalmente, ser padrão em dispositivos móveis, além dos aparelhos da Apple, que já possui seu próprio software, o iOS.


O grande problema, e que o próprio Gates endossa, é que a Microsoft demorou para reagir diante da concorrência e por subestimar o crescimento do mercado. “Por estar na zona de conforto proporcionada pelo domínio do Windows, a companhia demorou para perceber o potencial do mercado móvel”, afirmou Gates.

Celulares

Na contramão da Microsoft, a estratégia do Google, dono do Android, foi a de apostar todas as fichas em celulares. A companhia adquiriu o Android em 2005 por US$ 50 milhões, por determinação do ex-CEO do Google Eric Schmidt.

 


Ele reconheceu que a compra do Android era urgente para que a plataforma móvel da empresa se desenvolvesse antes que a Microsoft adotasse uma estratégia consistente para esse mercado. Embora o sistema operacional ainda engatinhasse naquele período, quando o Windows Phone chegou, os sistemas Android e iOS já eram plataformas com amplo domínio. A mea-culpa de Bill Gates é surpreendente porque, diferentemente de outras ocasiões semelhantes, a culpa não recaiu sobre o então CEO Steve Ballmer, que esteve à frente da companhia na década de 2000.


Para recuperar o tempo perdido no segmento mobile, a Microsoft terá de limpar sua imagem com os recentes problemas gerados pelo Windows. A mais recente atualização do Windows 10, que deveria trazer novos recursos, está trazendo mais problemas. O update de junho está apresentado falhas que envolvem o funcionamento de dispositivos bluetooth no sistema.


A atualização está fazendo com que alguns aparelhos deixem de sincronizar com a máquina, em um problema já confirmado pela Microsoft. De acordo com a empresa, para evitar colapso de segurança, o sistema está bloqueando conexões de aparelhos que usam chaves criptográficas mais antigas. Não há uma solução no momento, sendo a única saída esperar que ou Microsoft ou a fabricante do seu dispositivo libere uma atualização para o sistema ou para o aparelho, visando, assim, restabelecer a sincronização.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade