Publicidade

Correio Braziliense

Projeção de PIB da FGV registra crescimento de 0,2% e descarta recessão

Já o Índice de Atividade Econômica medido pelo Banco Central (IBC-Br), apontava para uma retração de 0,13%


postado em 14/08/2019 14:58 / atualizado em 14/08/2019 15:17

(foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
(foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
Contrariando a projeção do Índice de Atividade Econômica medido pelo Banco Central (IBC-Br), o Monitor do PIB-FGV divulgado nesta quarta-feira (14/8) tem uma visão mais otimista do Produto Interno Bruto e aposta em um crescimento de 0,2% no segundo trimestre. A prévia do Banco Central registrou uma retração de 0,13% no segundo trimestre de 2019 em relação aos três primeiros meses do ano, o que indica uma recessão técnica, quando o país registra PIB negativo em dois trimestres.  

Na comparação interanual, a economia cresceu 0,7% no segundo trimestre, o que manteve o crescimento da taxa acumulada em 12 meses em 0,9%, mesma variação observada no primeiro trimestre do ano.

Esse crescimento é explicado pelo desempenho do setor de serviços, único dos três grandes setores de atividade a apresentar crescimento neste trimestre (0,3%). Pela demanda, o consumo das famílias cresceu 0,7%, décimo crescimento consecutivo desse indicador, e a formação bruta de capital fixo voltou a crescer (2,3%), após dois recuos consecutivos.

“O setor de serviços continua crescendo porque a gente diz que, embora a renda da economia esteja muito fraca, são coisas que as pessoas não deixam de fazer, enquanto você pode adiar a compra. Essas coisas que são a parte de mercadoria e bens são mais elásticas. Então, o serviço é onde as pessoas se mantêm comprando", explica Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV. 

* Estagiária sob a supervisão de Vinicius Nader

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade