Publicidade

Correio Braziliense

Após tensão nos mercados, BC anuncia venda de swap reverso e dólar à vista

Na prática, a autoridade monetária está intervindo no mercado para evitar como que a moeda suba


postado em 14/08/2019 20:14

(foto: Edy Amaro/Esp.CB/D.A. Press)
(foto: Edy Amaro/Esp.CB/D.A. Press)
Após o dólar ter o subido 1,86% nesta quarta-feira (14/8), cotado aos R$ 4,04, o Banco Central (BC) anunciou leilões de swaps reversos, que a venda da moeda norte-americana no mercado futuro. Em troca, a autoridade monetária se compromete a pagar juros ao investidor, em troca da variação cambial. 

O BC também vai vender dólares à vista de forma simultânea à oferta no mesmo montante em swaps reversos. Na prática, a autoridade monetária está intervindo no mercado para evitar como que a moeda suba. “Como parte da agenda BC, o Banco Central anuncia atuação que visa a aprimorar o uso dos instrumentos disponíveis para a atuação no mercado de câmbio”, informou. “O BC reafirma sua política cambial, baseada no regime de câmbio flutuante e na atuação com vistas ao regular funcionamento do mercado”, completou. ]

“Na rolagem da posição em swaps cambiais a vencer em no dia primeiro de outubro, no montante de US$ 3,8445 bi (76.890 contratos), tendo em conta as condições vigentes atualmente no mercado local de câmbio, o BC ofertará, de 21 a 29 de agosto”, informou o BC. 

De acordo com a autoridade monetária, o objetivo é de que todo o estoque vincendo em 1º/10/19 seja rolado ou trocado por dólares à vista, portanto sem afetar a posição cambial líquida do BC. “A troca de instrumentos ocorrerá conforme a demanda dos agentes pelos diferentes instrumentos, por meio de leilões competitivos. As condições para a operacionalização de cada leilão serão divulgadas por intermédio de comunicados públicos do Depin e do Demab no dia útil anterior à sua realização”, comunicou. 
 
O diretor de Política Monetária do Banco Central, Bruno Serra Fernandes, enfatizou que esta atuação não altera sua política cambial, pautada no câmbio flutuante, sem prejuízo da atuação da autarquia em busca da manutenção do regular funcionamento do mercado. “Trata-se de aperfeiçoamento no uso dos instrumentos à sua disposição para atuação no mercado de câmbio, como parte da Agenda BC#, tendo em conta as condições presentes neste momento no mercado”, declarou.   

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade