Publicidade

Correio Braziliense

Medida que reduz aportes do FGTS é um dos principais assuntos de comissão

José Carlos Martins defendeu que o dinheiro mantenha o propósito para o qual foi criado, que é para a aposentadoria e construção da casa própria


postado em 15/08/2019 13:47

(foto: José Cruz/Agência Brasil)
(foto: José Cruz/Agência Brasil)
A medida publicada na quarta-feira (14/8) que reduziu os aportes do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço para duas faixas do Programa Minha Casa Minha Vida foi um dos principais assuntos discutidos na manhã desta quinta-feira (15/8) na Comissão parlamentar formada para dicutir a destinação dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).
 
Na prática, de acordo com José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (CBIC), dos R$ 10 bilhões programados — R$ 10 bilhões do Fundo e R$  1bilhão do orçamento da União— agora serão R$ 9,5 bilhões. 
 
Martins defendeu que o dinheiro mantenha o propósito para o qual foi criado que é para a aposentadoria e construção da casa própria. "A construção civil é responsável por mais de 200 milhões de empregos e afeta mais de 62 outros segmentos ", lembrou. 
 
Martins também criticou a liberação dos cerca de $ 40 bilhões do FGTS para o consumo anunciada recentemente pela equipe econômica. "Com R$ 100 bilhões são 400 mil casas e 1,2milhoes de empregos " disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade