Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro defende autonomia do Banco Central; pauta foi debatida na Câmara

Segundo o presidente, a conversa entre o presidente do BC, Roberto Campos Neto, e parlamentares favorece o debate sobre a nova estrutura da UIF


postado em 21/08/2019 16:10

(foto: Evaristo Sa/AFP)
(foto: Evaristo Sa/AFP)
O presidente Jair Bolsonaro defendeu a agenda de autonomia do Banco Central (BC). Ao comentar que a matéria tem apelo por parte do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), classificou a confluência de ideias como o “casamento perfeito”. Ao comentar um questionamento feito sobre a conversa que o presidente da autoridade monetária, Roberto Campos Neto, teve com parlamentares, avaliou, também, que o tema favorece o debate sobre a nova estrutura do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), agora sob a nomenclatura de Unidade de Inteligência Financeira (UIF). 

A conversa entre Campos Neto e parlamentares, entre eles Maia, líderes de partido e deputados da Comissão de Finanças e Tributação (CFT), ocorreu na Câmara. O presidente do BC defendeu que o custo do controle da inflação -- uma das competências da autoridade monetária -- é proporcionalmente pequeno a quanto maior for a independência. 

A articulação de Campos Neto com o Congresso tem o aval de Bolsonaro, que faz boa avaliação do interesse de Maia sobre a pauta. “Olha, eu já ouvi o Rodrigo Maia falar de passagem onde ele seria favorável à independência do BC. Com toda a certeza é o casamento perfeito”, destacou. Não foi claro, contudo, ao ser questionado se a autonomia favorecerá o combate à lavagem de dinheiro feito pela UIF, mas sinalizou uma expectativa favorável a isso. “Se não me engano, o Coaf nasceu lá atrás no BC. Depois que saiu de lá”, disse.
O Coaf foi instituído em 1998, na gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No entanto, desde aquela época, sempre esteve vinculado ao extinto Ministério da Fazenda. “O pessoal que vai integrar (a UIF no) BC não tem indicação política. Todos eles têm que ser servidores de algum lugar, seja do Exército, seja da Caixa, da polícia militar, seja o que for. Indo para lá, esse servidor vai ser profissionalizado lá”, destacou Bolsonaro. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade