Publicidade

Correio Braziliense

Frequência de utilização influencia nos aumentos dos planos de saúde

Para debater o tema, Correio Debate Saúde Suplementar, Consumo e Sustentabilidade, reunirá especialistas, na próxima quarta-feira (25/9), no auditório do jornal


postado em 21/09/2019 07:00

(foto: Thiago Fagundes/CB/D.A Press)
(foto: Thiago Fagundes/CB/D.A Press)
O preço dos planos de saúde vem afastando clientes. O setor perdeu 133,3 mil vínculos no último ano. Os planos de saúde coletivos, que representam quase 70% da carteira do país, devem ficar 17% mais caros em média este ano, o aumento previsto é quase quatro vezes mais alto do que a inflação acumulada nos últimos 12 meses. Para debater o tema, Correio Debate Saúde Suplementar, Consumo e Sustentabilidade, reunirá especialistas, na próxima quarta-feira (25/9), no auditório do jornal.

O diretor-adjunto de Normas e Habilitação dos Produtos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Mauricio Nunes da Silva, que participará de um dos painéis, explicou que o cálculo de aumento é complexo. “Os reajustes de planos não variam meramente pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). Outros dois fatores impactam e têm peso forte nesse custo: a frequência de utilização e novas tecnologias”, diz. “Não é só em relação ao procedimento, mas a frequência de utilização também impacta. Mesmo com a redução do preço, se as pessoas usarem mais de um ano para outro, aumentam os custos. A incorporação de novas tecnologias também reflete no preço”, explica.

O evento tem a parceria da Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde), do laboratório Sabin e do Hospital de Brasília.

* Estagiária sob supervisão de Rozane Oliveira 

  • Correio Debate: Saúde suplementar, consumo e sustentabilidade

    Data: 25/9/2019
    Local: Auditório do jornal
    Inscrições: Gratuitas, pelo site

  • Programação

9h Credenciamento

9h30 Abertura — Sistema de saúde no Brasil, para onde vamos? — João Gabbardo dos Reis, ministro interino do Ministério da Saúde

10h Painel 1 — Planos de saúde: mais opções, mais cuidados, mais saúde. Bom para todos — Lenise Barcellos de Mello Secchin, chefe de gabinete da ANS; Vera Valente, diretora executiva da Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde); Luciano Benetti Timm, secretário Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça; Erno Harzheim, secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde (Saps); Emmanuel Lacerda, gerente executivo da Unidade de Saúde e Segurança na Indústria (CNI)

11h40 Coffee break

11h50 Painel 2 — Prevenção e longevidade. Quanto mais se cuidar da saúde desde cedo, sobretudo num país com envelhecimento rápido como o Brasil, todos ganham. Consumidores e operadoras. Experiências exitosas
Edgar Nunes Moraes, professor-associado do Departamento de Clínica Médica e coordenador do Núcleo de Geriatria e Gerontologia da UFMG, Consultor do CONASS na área de Saúde do Idoso; Rodrigo Tanus, CEO Livon Saúde; Mauricio Nunes da Silva, diretor-adjunto de Normas e Habilitação dos Produtos da ANS; José Cechin, superintendente executivo do IESS

13h30 Encerramento

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade