Publicidade

Correio Braziliense

Eletrobras apresenta lucro de R$ 716 milhões no terceiro trimestre de 2019

A receita bruta no período foi de R$ 8,8 bilhões, um aumento de 9,7% em relação a 2018. Nesta terça-feira, o presidente da companhia, Wilson Ferreira Júnior, fará teleconferência para acionistas


postado em 12/11/2019 13:10

(foto: Eletrobras/divulgação)
(foto: Eletrobras/divulgação)
Em vias de privatização, a Eletrobras apresentou lucro líquido de R$ 716 milhões no terceiro trimestre de 2019, valor 132% superior ao resultado negativo de R$ 2,2 bilhões obtido no mesmo período de 2018. Em nove meses, teve lucro líquido de R$ 7,624 bilhões, 1985% superior ao prejuízo líquido de R$ 404 milhões obtido de janeiro a setembro de 2018. 

 

A companhia divulgou o balanço às 23h da segunda-feira. Na tarde desta terça-feira (12/11), o presidente da companhia, Wilson Ferreira Júnior, fará teleconferência para acionistas para comentar os resultados.

 

O Ebitda da companhia (sigla em inglês para lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) registrou aumento de 303% na mesma comparação, totalizando R$ 2,8 bilhões. A receita bruta do terceiro trimestre de 2019 foi de R$ 8,8 bilhões, um aumento de 9,7% em relação a igual período do ano anterior.

 

Conforme a empresa, o resultado positivo foi impactado pelo aumento de R$ 1 bilhão de receita, tendo como destaque o início do fornecimento do Contrato de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado (CCEAR) da Usina Termelétrica Mauá 3 e a melhoria na Gestão dos Ativos de Geração (GAG), de R$ 250 milhões, referentes às usinas prorrogadas pela Lei 12.783/2013.

 

A redução do item Pessoal, Material, Serviços de Terceiros e Outras despesas, o PMSO recorrente, em cerca de 17%, com corte de cerca de R$ 371 milhões no trimestre, também colaborou para o resultado. 

 

Em nota, a holding destacou a agregação física, em 2019, de 1.035 Megawatts (MW) na capacidade instalada das empresas Eletrobras, que hoje têm 50.429 MW -- o equivalente a 30,2% do país. O crescimento de 4% da capacidade em relação ao terceiro trimestre de 2018 se deve, principalmente, à entrada em operação das unidades geradoras (UG) 15 e 16 de Belo Monte e ao início da operação comercial da UG 2 de Sinop.

 

A redução de 105 quilômetros (km) em linhas de transmissão no terceiro trimestre se deve à venda de sociedades de propósito específico (SPEs), que, até setembro de 2019, representou caixa de R$ 798 milhões. A Eletrobras tem a receber ainda R$ 202 milhões até dezembro deste ano. “Estão ainda em processo de desinvestimento 39 SPEs. Maior transmissora do Brasil, responsável por 70.924 km do total de linhas de transmissão do país, a Eletrobras detém 45,2% da transmissão do Brasil”, informou.

Dívida 

A dívida líquida/Ebitda ajustado – importante indicador da saúde financeira da empresa, que reforça seu compromisso com a disciplina financeira – ficou em 1,8, superando a meta da companhia de ficar abaixo de três vezes. No período, a Eletrobras também registrou melhor desempenho no Programa Destaque em Governança de Estatais da Bolsa de Valores de Sã Paulo (B3), passando de 50 para 56 pontos, sendo 60 a pontuação máxima. A evolução reafirma o compromisso da Eletrobras com a contínua melhoria de sua governança, bem como seu alinhamento com as melhores práticas do mercado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade