Publicidade

Correio Braziliense

Dólar opera em queda com cenário externo no radar

Profissionais do mercado acreditam que a baixa inicial indica pequena correção em relação aos movimentos da última sexta-feira (15/11)


postado em 18/11/2019 12:07 / atualizado em 18/11/2019 12:10

O dólar à vista era negociado a R$ 4,1792, em baixa de 0,33%(foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
O dólar à vista era negociado a R$ 4,1792, em baixa de 0,33% (foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
O dólar iniciou esta segunda-feira (18/11), em leve baixa nos mercados à vista e futuro, devolvendo parte da alta acumulada até a última quinta-feira (14/11), quando a moeda havia atingido R$ 4,20 no mercado futuro e R$ 4,19 no à vista. Profissionais do mercado acreditam que a baixa inicial indica pequena correção em relação aos movimentos da última sexta-feira (15/11), quando o mercado doméstico ficou fechado, em virtude do feriado da Proclamação da República. 

Com a agenda doméstica escassa, as atenções seguem concentradas no mercado internacional, onde o foco está no noticiário em torno das negociações comerciais entre Estados Unidos e China. Por volta das 9h30, os contratos futuros do petróleo abandonaram a tendência de alta e passaram a registrar baixa, à espera e novas notícias sobre o assunto. Mais cedo, a alta era atribuída aos sinais de entendimento entre as partes, depois que autoridades dos dois países informaram terem tido uma conversa "construtiva".

ÀS 9h40, o dólar à vista era negociado a R$ 4,1792, em baixa de 0,33%. No mercado à vista, a cotação do contrato para dezembro recuava 0,40%, aos R$ 4,1830. Na renda fixa, o contrato de DI para janeiro de 2023 tinha taxa de 5,71%, ante 5,75% do ajuste de quinta-feira. O Índice Bovespa futuro indicava alta de 1,02%, aos 107.990 pontos.

O Boletim Focus, divulgado no início da manhã pelo Banco Central, mostrou que os economistas do mercado financeiro alteraram levemente a previsão para o IPCA em 2019. A mediana para o índice este ano foi de alta de 3,31% para 3,33%. 

A expectativa de crescimento da economia em 2019 seguiu em 0,92%, sem alteração em relação à pesquisa anterior. Para 2020, o mercado financeiro alterou a previsão de alta do Produto Interno Bruto (PIB), de 2,08% para 2,17%. Para o câmbio, a mediana das expectativas para o fim deste ano seguiu em R$ 4,00, mesmo valor projetado para o final de 2020. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade