Publicidade

Correio Braziliense

'Estão avançando', diz porta-voz sobre negociação com os EUA na taxa do aço

Otávio Rêgo Barros informou ainda não há ''profundidade'' devida sobre o tema e que uma ligação de Bolsonaro para Trump antes de uma análise rigorosa seria ''intempestiva''


postado em 03/12/2019 20:17 / atualizado em 03/12/2019 21:06

(foto: Evaristo Sa/AFP)
(foto: Evaristo Sa/AFP)
O porta-voz da República, Otávio Rêgo Barros, afirmou na noite desta terça-feira (3/12) que as negociações para conter a sobretaxa no aço e alumínio brasileiro anunciado pelo presidente dos EUA, Donald Trump, estão em andamento e que os ministérios estão em contato com as equipes americanas para tentar chegar a um acordo. No entanto, o porta-voz não deu maiores detalhes. 

“Não tivemos contato com a equipe do secretário Troyjo, mas nos foi iluminado que estão avançando. Detalhes específicos não temos. A conversação prossegue. Estamos entendendo o que ocorreu por parte do governo americano a fim de ter um posicionamento da nossa parte apresentando as nossas ideias, as nossas colocações", apontou.

Ao justificar o retorno da tarifação, Donald Trump escreveu em uma rede social nesta segunda-feira (2/11) que “Brasil e Argentina desvalorizaram fortemente suas moedas, o que não é bom para nossos agricultores".. "Portanto, com vigência imediata, restabelecerei as tarifas de todo aço e alumínio enviados aos Estados Unidos por esses países”, acrescentou.

Ainda na segunda-feira, Rêgo Barros afirmou que Bolsonaro não ligou para Trump para falar sobre o assunto por entender que o momento era ‘inapropriado’.

Rêgo Barros disse ainda que não há ‘profundidade’ devida sobre o tema e que fazer a ligação para Trump antes de uma análise rigorosa seria ‘intempestivo’. 

“Precisamos entender exatamente quais são os impactos da medida aplicada pelo governo americano sobre as taxações de aço e alumínio. Ao mesmo tempo, o presidente, como é comum nessa questões econômicas, ele se vale do Ministério da Economia, dos técnicos, para aprofundar o conhecimento, tomar sua decisão. Então, seria intempestivo da parte do Bolsonaro, ainda sem conhecer todos os dados, efetivar uma ligação que, claramente seria completada, em tempo inapropriado em face de desconhecimento profundo do tema”, ressaltou.

Questionado sobre a opinião do presidente Bolsonaro a respeito da liberação pela Anvisa da cannabis para fins medicinais, o porta-voz disse não ter conversado pessoalmente com o chefe do Executivo, mas ressaltou que a opinião é a mesma que será anunciada pelo ministro da Cidadania, Osmar Terra, ainda nesta terça-feira (3/12).

"Há pouco o Ministério da Cidadania informou que o ministro Terra gravará um vídeo ainda hoje e disponibilizará em mídias sociais  esclarecendo a posição daquele ministério que, por consequência, é a posição do presidente da República", concluiu.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade