Publicidade

Correio Braziliense

Bolsonaro vai debater recomposição do salário mínimo à inflação de 2019

A ideia será debatida com o ministro Paulo Guedes. O presidente afirmou que quer recompor, pelo menos, a inflação


postado em 14/01/2020 10:16 / atualizado em 14/01/2020 10:18

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
O presidente Jair Bolsonaro vai conversar com o ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a possibilidade de elevar o salário mínimo acima de R$ 1.039. O atual valor, decretado por ele em 31 de dezembro de 2019, está em vigor desde 1º de janeiro. Contudo, a quantia ficou abaixo da inflação acumulada nos 12 meses do último ano, de 4,31%.


Em 2019, o salário mínimo era de R$ 998. Antes da publicação do decreto, a mediana das expectativas do mercado para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) — o indicador oficial de inflação — apontava para uma alta de 4,04%. A esse patamar, a remuneração mínima corrigida por essa taxa ficaria em R$ 1.038, próximo do decretado por Bolsonaro.

O problema é que o IPCA oficial no acumulado em 12 meses em 2019, divulgado na última sexta-feira (10/1) pelo Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE), ficou em 4,31%. Dessa forma, o salário mínimo corrigido a esse percentual deveria ficar em R$ 1.041. Ou seja, há uma defasagem de, pelo menos, R$ 2. Isso porque o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) é tradicionalmente mais utilizado para mensurar reajustes salariais.

 

Recomposição 

No acumulado em 12 meses em 2019, o INPC subiu 4,48%. Ou seja, o salário mínimo do último ano corrigido a esse patamar ficaria ajustado em R$ 1.043, arredondado para cima. Tudo, no entanto, ainda será debatido entre Bolsonaro e o chefe da equipe econômica. “Vou me reunir com o Paulo Guedes agora a tarde eu acho que tem brecha para a gente atender aí, porque a inflação de dezembro foi atípica, né, por causa do preço da carne”, explicou. 

 

Os dois se reúnem no Palácio do Planalto por volta das 14h. A ideia, admite Bolsonaro, é recompor, pelo menos, a inflação. “É, a ideia é (recompor) no mínimo, né, é isso. A cada R$ 1 no salário mínimo são mais ou menos R$ 300 milhões no orçamento. A barra é pesada, mas, apesar de ser pouco o aumento, R$ 4 ou R$ 5, a gente tem que recompor”, declarou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade