Economia

Preso em São Paulo, Ricardo Mansur fica em domiciliar após audiência de custódia

Agência Estado
postado em 31/01/2020 18:14
O empresário Ricardo Mansur, ex-dono das lojas Mappin, foi preso na quinta-feira, 30, em São Paulo. Em audiência de custódia realizada na 6.ª Vara Criminal Federal em São Paulo, o juiz Diego Paes Moreira autorizou, a pedido da defesa, a transferência de Mansur para prisão domiciliar. Mansur foi condenado em 2011 pelo juiz Marcelo Costenaro Cavali, então da 6.ª Vara, a 6 anos de reclusão em regime semiaberto por crime de gestão temerária de instituição financeira, no caso a Mappin Previdência Privada (MPP). Cavali condenou Mansur em um outro processo na mesma ocasião, por gestão fraudulenta no Banco Crefisul. Neste caso, o empresário pegou cinco anos e seis meses de prisão, somando à época pena total de 11 anos e 6 meses. Os crimes atribuídos a Mansur na Mappin Previdência teriam ocorrido entre 30 de junho de 1998 a agosto de 1999. A Procuradoria da República apontou nove operações que caracterizaram concentração ilegal do capital da MPP em companhia de Mansur. Segundo a denúncia, a concentração de investimentos em empresas do mesmo grupo "agravou-se a partir da gestão Mansur". Na sentença, o juiz Cavali destacou. "Era o réu Mansur quem detinha o domínio do fato, o domínio das ações." A sentença transitou em julgado. Na quinta, Mansur foi preso em sua residência, em São Paulo. Na audiência de custódia a defesa pediu prisão domiciliar e foi atendida. COM A PALAVRA, A DEFESA O advogado Marcelo Rocha Leal, que defende Ricardo Mansur, confirmou que na audiência de custódia pediu a transferência do empresário para regime domiciliar. O pedido da defesa foi atendido.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação