Publicidade

Correio Braziliense

Ibaneis Rocha critica Paulo Guedes por proposta de isenção do ICMS

Governador do DF declarou que proposta do governo é ''irresponsável''


postado em 11/02/2020 17:56 / atualizado em 11/02/2020 17:57

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Reunidos em Brasília, na sede do Banco do Brasil, para o Fórum dos Governadores, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, trocaram farpas nesta terça-feira (11/2). 

 

Em áudio captado por cinegrafistas na hora que foram autorizados a fazer imagens da reunião, é possível ouvir o governador do DF criticando o ministro. "Nós governadores estamos apanhando há 15 dias, de todo mundo, inclusive do senhor e do presidente. Estamos recebendo sua vinda aqui com muito carinho, porque agora estamos vendo uma interlocução que nós governadores...estamos falando da reforma tributária, estamos tratando das reformas e agradecendo a sua presença. Exatamente, por isso, a gente restabelece o diálogo, que tem que existir. Nós temos que pontuar politicamente. O presidente pontuou politicamente e nós estamos pontuando politicamente", disse em tom de afronta. 

 

A crítica de Ibaneis é quanto à proposta do governo de que os estados zerem o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos combustíveis.  

 

Mais cedo, antes da reunião começar, Ibaneis declarou à imprensa que o presidente Jair Bolsonaro tinha sido irresponsável com a proposta. "Nós estamos trabalhando em uma postura de que, em primeiro lugar, se trata as coisas sérias de forma séria. Essa questão de impostos é muito séria. Então, o senhor presidente da República deveria ter se reunido com a equipe econômica antes de entrar num debate tão criminosa de quebrar todos os estados. Algumas coisas têm que ser tocadas de forma mais responsável", disparou. 

 

Participam da reunião representantes de 22 estados. A pauta do encontro inclui temas como segurança pública, preço dos combustíveis e a renovação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento de Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade