Publicidade

Correio Braziliense

FUP e sindicatos indicam suspensão provisória da greve dos petroleiros

Segundo sindicalistas, a paralisação dos petroleiros, que já dura 20 dias, está mantida até realização das assembleias que acontecem nesta quinta-feira (20/2)


postado em 20/02/2020 11:31 / atualizado em 20/02/2020 11:48

Conforme a federação, a categoria petroleira segue mobilizada em defesa dos empregos(foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Conforme a federação, a categoria petroleira segue mobilizada em defesa dos empregos (foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
No 20º dia da greve dos petroleiros, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) e sindicatos indicam suspensão provisória da paralisação “para acumular forças na negociação mediada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST)”. O indicativo, no entanto, não siga o fim da paralisação. Segundo os sindicalistas, a greve está mantida até a decisão de assembleias que ocorrem nesta quinta-feira (20/2).

Reunidas na quarta-feira (19/2), no Conselho Deliberativo da FUP, as direções sindicais de todo o país indicaram a suspensão provisória da greve para que a Comissão Permanente de Negociação da FUP possa participar, na sexta-feira (21/2), da negociação no TST, junto com representantes do Ministério Público do Trabalho. De acordo com o indicativo, a greve será mantida, caso não haja avanços na mediação feita pelo tribunal.

“O momento é de acumular forças para buscar o atendimento da pauta de reivindicações que a gestão da Petrobras tem se recusado a negociar. Estamos vivendo uma das mais importantes e simbólicas greves da história recente do país, garantimos a suspensão das demissões na Fafen-PR (Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná, também chamada de Araucária Nitrogenados SA -- Ansa) e conquistamos a abertura de um processo de negociação mediado pelo TST. Esses fatos refletem a importância da maior greve que a categoria já realizou desde maio de 1995”, afirmou Devyd Barcelar, diretor da FUP. 

Conforme a federação, a categoria petroleira segue mobilizada em defesa dos empregos, contra o que chamam de desmonte do Sistema Petrobras e por preços justos para os derivados de petróleo. “A interrupção da greve está condicionada ao avanço da gestão da empresa na negociação com os trabalhadores, para que seja garantido o cumprimento da Cláusula 26 do Acordo Coletivo de Trabalho, segundo a qual a Araucária Nitrogenados se compromete a não promover despedida coletiva ou plúrima sem prévia discussão com o sindicato.”

Ato em SP

Na tarde desta quinta-feira (20/2) será realizado, em São Paulo, um grande ato em solidariedade aos petroleiros, em defesa da Petrobras e da soberania nacional, informou a FUP. “A manifestação está sendo convocada pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, com concentração no vão do Masp, às 16h30”, de acordo com a federação

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade