Publicidade

Correio Braziliense

CCR vence Leilão da BR-101/SC que teve deságio de 62%

Com uma tarifa básica de R$ 1,9712, empresa ganha disputa sobre as concorrentes EcoRodovias e Consórcio Way. São previstos R$ 3,3 bilhõs em investimentos


postado em 21/02/2020 13:26 / atualizado em 21/02/2020 19:01

(foto: ANTT/Divulgação)
(foto: ANTT/Divulgação)
A CCR, que administra mais de 3,7 mil quilômetros de rodovias no Brasil, será a concessionária da BR-101 em Santa Catarina. A companhia venceu o leilão realizado nesta sexta-feira (21/2) pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), oferecendo um deságio de 62,04% na tarifa básica. O certame ocorreu na Bolsa de Valores de São Paulo (B3).

 

Três propostas foram apresentadas. A CCR, representada pela corretora Mundinvest SA ofereceu a tarifa vencedora de R$ 1,9712. A EcoRodovias Concessões e Serviços SA, representada pela corretora Necton Investimentos, apresentou tarifa de R$ 2,5116. O Consórcio Way, representado pela corretora XP Investimentos, propôs valor de R$ 4,35985.

 

A rodovia concedida é o trecho Sul da BR-101 que vai de Palhoça, município vizinho à capital Florianópolis, até a divisa com o Rio Grande do Sul, numa extensão 220,42 quilômetros. A estrada passa pelos municípios catarinenses de Paulo Lopes, Garopaba, Imbituba, Laguna, Pescaria Brava, Capivari de Baixo, Tubarão, Treze de Maio, Sangão, Içara, Jaguaruna, Criciúma, Maracajá, Araranguá, Sombrio, Santa Rosa do Sul e São João do Sul.

 

Para o empreendimento, estão previstos R$ 3,376 bilhões em investimentos e a estimativa de R$ 3,99 bilhões para custos operacionais (conservação, operação e monitoramento) nos 30 anos de duração da concessão.

Benfeitorias

O diferencial dessa concessão são as benfeitorias previstas para os usuários, que terão maior segurança e tecnologia ao longo do trecho leiloado. O edital prevê, entre outras obras, novas vias marginais (70,3 km), novas faixas adicionais (98,3 km), melhorias de acessos (31), adequações de faixas de aceleração/desaceleração (185), pontos de ônibus – com baias (25), canalizações de tráfego (51), eliminação de conflitos frontais (218), dispositivos em desnível (5 implantações e 4 adequações), implantação de passarelas (18 unidades) e implantação de rotatórias em nível (42 unidades). 

 

O Ministério da Infraestrutura estimou que quase 4 mil empregos serão gerados com a concessão, com previsão de retorno de R$ 645 milhões aos municípios, por meio da arrecadação da alíquota de ISS (Imposto Sobre Serviços). Além disso, a concessão vai permitir um incremento no turismo da região. A BR-101/SC dá acesso às praias mais importantes do estado, como a Praia do Rosa, Ferrugem, Balneário Camboriú, Bombinhas, entre outras. 

 

Todo o trecho será 100% monitorado por 171 câmeras nas pistas, 64 câmeras em passarelas e atuação integrada com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Também haverá a instalação de 10 painéis fixos de mensagens para informar as condições de trafegabilidade em tempo real e outros três móveis para sinalização temporária. 

 

Haverá, ainda, seis bases operacionais, ao longo da 101/SC, sendo quatro com atendimento ao usuário, onde será possível fazer paradas estratégicas durante o trajeto, beber água, utilizar sanitários/trocadores e obter informações. Sete viaturas de inspeção de tráfego, quatro ambulâncias, três caminhões-guinchos leves e dois guinchos pesados cuidarão da segurança dos usuários.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade