Publicidade

Correio Braziliense

Bancos privados se preparam para oferecer casa própria com juro prefixado

O Santander informou que avalia o lançamento de linhas de crédito imobiliário com taxa de juros fixa, mas sem prazo previsto para oferecer o produto


postado em 22/02/2020 07:00

(foto: Júlio Lapagesse/CB/D.A Press)
(foto: Júlio Lapagesse/CB/D.A Press)
Após o anúncio da linha de crédito com taxa de juros prefixada para a compra da casa própria, oferecida pela Caixa Econômica Federal, alguns dos bancos em atividade no Brasil informaram que estudam o mercado e se preparam para lançar produto semelhante.

O Santander informou que avalia o lançamento de linhas de crédito imobiliário com taxa de juros fixa, mas sem prazo previsto para oferecer o produto. O Banco do Brasil afirmou que estuda as “oportunidades em linha com a concorrência, buscando oferecer portfólio de crédito que atenda às necessidades dos clientes”, também sem data definida. Já o Itaú Unibanco disse que não pretende operar medida semelhante à da Caixa a curto prazo. O Bradesco não se pronunciou.

O professor do Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais da Universidade de Brasília (UnB) Bruno Ramos afirmou que a medida da Caixa anula a preocupação do consumidor com as variações da economia quando for obter o imóvel. “A linha prefixada tem vantagens porque não é influenciada pela TR, que apesar de estar zerada nos últimos anos, em algum momento pode levantar e aumentar a parcela”, disse.

O vice-presidente do Instituto Brasileiro dos Executivos de Finanças no Distrito Federal (IBEF-DF), João Carlos de Almeida, explicou que a medida é ruim para o cliente caso a inflação continue caindo, pois os juros do imóvel adquirido não serão afetados com a queda. Para o setor de construção civil, a medida é positiva, avalia. “Se os clientes buscarem o financiamento habitacional prefixado, gerarão aumento no nível de empregos na construção civil, que é segmento econômico que mais tem capacidade de absorver mão de obra rapidamente.”

* Estagiários sob a supervisão de Odail Figueiredo

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade