Publicidade

Correio Braziliense

Alta do dólar provoca redução de 15% nos gastos de brasileiros no exterior

Cálculos do Banco Central indicam que o dólar subiu 10,9% nos últimos 12 meses, passando de R$ 3,74 em janeiro de 2019 para uma média de R$ 4,15 em janeiro passado. Essa média, porém, já ficou para trás há certo tempo, visto que o dólar, que começou o ano cotado a R$ 4,01, já bate nos R$ 4,40


postado em 22/02/2020 07:00

(foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
(foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Com a disparada do dólar, os brasileiros decidiram gastar menos com viagens ao exterior neste início de ano. Segundo o Banco Central (BC), essas despesas somaram US$ 1,438 bilhão em janeiro de 2020, uma redução de quase 15% ante ao resultado do mesmo mês do ano passado, que foi de US$ 1,689 bilhão.

O resultado de US$ 1,438 bilhão é o menor para o mês de janeiro desde 2016. E a redução é ainda maior quando se olha para os números que antecedem a crise econômica, pois, no início da década passada, esse indicador sempre ficava acima dos R$ 2 bilhões, já que janeiro é um mês de férias escolares e, portanto, de viagens.

“A desvalorização cambial torna os gastos dos turistas brasileiros no exterior maiores para quem ganha em reais. Por isso, essa tendência de redução das despesas com viagens”, explicou o chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central, Fernando Rocha, lembrando que, para quem viaja, o que vale é a cotação do dólar turismo, que está ao redor de R$ 4,60, bem acima da cotação do comercial.

Cálculos do Banco Central indicam que o dólar subiu 10,9% nos últimos 12 meses, passando de R$ 3,74 em janeiro de 2019 para uma média de R$ 4,15 em janeiro passado. Essa média, porém, já ficou para trás há certo tempo, visto que o dólar, que começou o ano cotado a R$ 4,01, já bate nos R$ 4,40.

Estrangeiros


Por causa disso, a conta parcial de fevereiro revela um resultado ainda pior que o de janeiro. Até o último dia 19, os brasileiros gastaram US$ 678 milhões em viagens ao exterior — menos até que os R$ 840 milhões vistos em janeiro de 2016, no auge da crise econômica. A Agência Brasileira de Agências de Viagens (Abav), calcula que, hoje, 60% dos pacotes turísticos que são vendidos no Brasil visam ao turismo nacional, pago em real, e não as viagens internacionais, cotadas com base no dólar.

Se, por um lado, encarece os gastos dos brasileiros no exterior; de outro, a alta do dólar barateia as despesas dos estrangeiros no Brasil. Isso, contudo, não tem sido suficiente para ampliar os desembolsos dos turistas no país. Segundo o BC, a cifra caiu, passando de US$ 704 milhões em janeiro de 2019 para US$ 582 milhões em janeiro de 2020. “Os turistas estrangeiros devem estar com receio de viajar. Além disso, tem havido muitas notícias de violência no Brasil, o que desestimula a vinda”, avaliou o professor de economia na UnB Newton Marques.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade