Economia

Promessas na Casa Branca

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 11/03/2020 04:05

O vice-presidente dos Estados Unidos, Michael Pence, afirmou ontem que o governo americano continua a trabalhar na resposta ao coronavírus, com medidas como a destinação de recursos federais para esse combate. Segundo ele, a administração do presidente Donald Trump revisa essas propostas, neste momento.

Em Washington, Pence comentou que o risco de que o americano médio possa contrair a doença continua a ser baixo, além de informar que 4 milhões de testes de coronavírus estarão disponíveis até o fim desta semana, sendo que 1 milhão deles já estão disponíveis. Além disso, ele lembrou que houve um acordo mais cedo com seguradoras para que os pacientes não se preocupem em ter de arcar com os custos provocados, por exemplo, pelos testes para a doença. As companhias se comprometeram, na reunião, a arcar com esses custos.

Na segunda-feira, Donald Trump afirmou que o governo americano apresentará uma proposta de benefícios fiscais para aliviar o impacto econômico do coronavírus. ;Benefícios fiscais poderão ajudar empresas, companhias aéreas, cruzeiros e hotéis;, declarou o republicano. ;Empresas não podem ser penalizadas pelo surto de coronavírus;, acrescentou Trump. De acordo com o presidente americano, o governo também pensa em cortar impostos sobre a folha de pagamento, para fazer frente aos efeitos econômicos do coronavírus.

O secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, por sua vez, afirmou que a economia dos EUA é ;a mais resiliente no mundo; e que o governo ajudará ;pequenas empresas que precisem de liquidez;.

Já o governo do Japão deve revelar um segundo pacote de estímulos, de 430,8 bilhões de ienes (US$ 4,1 bilhões), além de medidas fiscais no total de 1,6 trilhão de ienes, para apoiar financiamentos a empresas como parte do pacote.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação