Economia

Coronavírus: trabalhadores informais terão auxílio de R$ 200

O repasse será liberado nos próximos três meses. Serão liberados até R$ 15 bilhões

Alessandra Azevedo, Marina Barbosa
postado em 18/03/2020 15:51

O repasse será liberado nos próximos três meses. Serão liberados até R$ 15 bilhõesO governo federal vai liberar R$ 15 bilhões em benefícios de até R$ 200 para os trabalhadores informais e autônomos que perderam parte da sua renda devido à desaceleração econômica causada pela pandemia do coronavírus. O repasse será liberado nos próximos três meses através de uma medida que será assinada ainda nesta quarta-feira (18/3) pelo presidente Jair Bolsonaro.

O custo da medida será de R$ 5 bilhões por mês, pelos cálculos do Ministério da Economia. "O presidente vai assinar essa medida hoje. Vamos lançar uma camada de proteção aos autônomos", anunciou o ministro da Economia, Paulo Guedes, em coletiva de imprensa sobre as medidas de combate ao coronavírus, realizada no Palácio do Planalto, na tarde desta quarta-feira. O repasse será feito preferencialmente por agências bancárias.

Os beneficiados serão selecionados pelo Cadastro Único do governo federal. Segundo o secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, muitos informais são registrados no banco de dados, mas não recebem nenhum benefício assistencial, geralmente por terem renda acima do máximo permitido. ;São pessoas que não são atendidas pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC) nem pelo Bolsa Família;, informou, em coletiva no Ministério da Economia.

Guedes lembrou que 38 milhões de brasileiros trabalham na informalidade hoje em dia. Segundo o ministro, são brasileiros que estão vendendo cocada nas ruas, flanelinhas e autônomos. "Uma turma valente que está sobrevivendo sem ajuda do Estado e agora precisa de recurso", afirmou, lembrando que essas atividades informais devem sofrer uma queda abrupta neste momento de contenção do Covid-19, já que as pessoas estão sendo orientadas a ficarem o maior tempo possível em casa.

O valor anunciado para este auxílio, porém, ficou abaixo da média dos benefícios do Bolsa Família, que era vista como uma base de cálculo para o "voucher" dos trabalhadores informais. Segundo Guedes, deve ficar em até R$ 200 por trabalhador. "São duas cestas básicas. Então, pelo menos, assegura a manutenção de quem também está sendo vítima do impacto econômico da crise", afirmou o ministro da Economia.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação