Publicidade

Correio Braziliense

Embraer fecha 2019 com prejuízo de R$ 862,7 milhões

No quarto trimestre do ano passados, as perdas somaram R$ 383,6 milhões, revertendo lucro líquido de R$ 79,7 milhões no ano anterior


postado em 26/03/2020 10:39 / atualizado em 26/03/2020 11:05

(foto: Divulgação/Anac)
(foto: Divulgação/Anac)
A indústria aeronáutica Embraer fechou 2019 com prejuízo líquido de R$ 862,7 milhões. No quarto trimestre do ano passados, as perdas somaram R$ 383,6 milhões, revertendo lucro líquido de R$ 79,7 milhões no ano anterior, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (26/3).

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado caiu de R$ 502,8 milhões para R$ 270,7 milhões. A fabricante brasileira de aviões também informou, em comunicado em separado, que devido à incerteza relacionada ao impacto da propagação do coronavírus está suspendendo suas estimativas em relação aos resultados esperados para 2020.

A empresa garantiu que ainda não sofreu atrasos em sua cadeia de suprimentos, operações de fabricação, ou impactos relevantes na demanda por seus produtos. 

Segundo o comunicado com os dados de 2019, no quarto trimestre, a Embraer entregou 35 aeronaves comerciais e 46 executivas (20 jatos leves e 26 grandes) e em 2019 foram 89 aeronaves comerciais e 109 executivas (62 jatos leves e 47 grandes), o que estava dentro das estimativas da companhia.

A carteira de pedidos firmes atingiu US$ 16,8 bilhões no final do último trimestre do ano passado, apresentando crescimento em relação aos US$ 16,2 bilhões do terceiro trimestre e dos US$ 16,3 bilhões do quarto trimestre de 2018.  
 

A receita líquida atingiu R$ 8.6 bilhões no quarto trimestre de 2019 e R$ 21,8 bilhões (US$ 5,5 bilhões) no ano, ficando em linha com a estimativa da companhia de US$ 5,3 a US$ 5,7 bilhões. Segundo os dados apresentados, a empresa terminou 2019 com forte liquidez e uma posição de caixa total de R$ 11,2 bilhões.

A dívida total da Embraer no quarto trimestre era de R$ 13,6 bilhões com um prazo médio de quase cinco anos, perfazendo uma dívida líquida de R$ 2,4 bilhões, comparada à dívida líquida de R$ 5,6 bilhões ao final do terceiro trimestre.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade