Economia

Mercado projeta queda de 0,48% do PIB do Brasil em 2020

O mercado financeiro ainda reduziu de 3,04% para 2,94% a perspectiva para a inflação em 2020, em virtude da redução da demanda

Marina Barbosa
postado em 30/03/2020 10:31
 (foto: Ilton Rogerio/Getty Images/Stockphoto)
(foto: Ilton Rogerio/Getty Images/Stockphoto)
O mercado financeiro ainda reduziu de 3,04% para 2,94% a perspectiva para a inflação em 2020, em virtude da redução da demandaO mercado financeiro estima que a economia brasileira vai sofrer uma queda de 0,48% neste ano, em virtude dos impactos do coronavírus. A estimativa consta no Boletim Focus desta semana.

Elaborado pelo Banco Central com a mediana das estimativas de aproximadamente 100 analistas do mercado financeiro, o Boletim Focus mostra que o mercado ajustou a sua perspectiva de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,48% para - 0,48% em 2020. É a sétima queda consecutiva do indicador, que há um mês, antes do Covid-19 abater a economia brasileira, projetava uma alta de 2,17% do PIB em 2020.

A nova projeção do mercado financeiro é um pouco mais pessimista que as projeções do governo - a Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia projeta um PIB de 0,02% para este ano e o Banco Central, 0%. Porém, ainda parece otimista perto dos cálculos que vêm sendo feitos por instituições como o Banco ABC Brasil, o JP Morgan e a Fundação Getúlio Vargas, que estimam quedas mais contundentes da atividade econômica brasileira e, por isso, dizem que o PIB pode ficar entre - 1% e - 4,4%.

Outros indicadores


O mercado financeiro ainda reduziu de 3,04% para 2,94% a perspectiva para a inflação em 2020, em virtude da redução da demanda, que foi intensificada pela desaceleração econômica causada pelo coronavírus e pelo fechamento do comércio. A perspectiva da taxa básica de juros (Selic) também caiu, de 3,75% para 3,5%, já que, diante desse cenário, o mercado espera que o Banco Central corte novamente os juros para estimular a economia. Já a taxa de câmbio foi mantida em R$ 4,50.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação