Economia

MERCADO S/A - Amauri Segalla

"Daqui em diante, é provável que a Ford e suas concorrentes reconsiderem a maneira de apresentar um automóvel"

postado em 14/04/2020 04:05




Pela primeira vez, Ford lança carro no Brasil somente na internet


A crise da Covid-19 provoca pequenas revoluções no mundo corporativo. Pela primeira vez a Ford lançou um carro no Brasil apenas no ambiente on-line. O novo Ranger Storm (foto) foi apresentado em seis transmissões ao vivo pela internet, com imagens caprichadas do automóvel e todas as informações do veículo fornecidas para o público virtual. Trata-se de uma grande transformação. Em geral, os veículos são lançados em luxuosos eventos que exigem investimentos pesados das montadoras. Com o novo coronavírus e as restrições de circulação, a Ford optou pelo lançamento virtual. O interessante é que a empresa gostou do resultado: a estratégia resultou em 158 artigos veiculados na imprensa especializada do Brasil e 210 publicações em mídias sociais. Não seria muito diferente se a apresentação tivesse sido feita da maneira tradicional. Daqui por diante, portanto, é provável que a Ford e suas concorrentes reconsiderem a maneira de apresentar um automóvel. O mundo vai ingressar em uma nova era.





75 mil
funcionários


serão contratados pela Amazon para atender ao brutal aumento da demanda pelos serviços
on-line da empresa desde que boa parte do mundo entrou em isolamento social



Para setor de transportes, crise vai durar quatro meses

A crise econômica desencadeada pelo novo coronavírus vai durar pelo menos quatro meses e derrubar até 40% do faturamento das empresas. Essas são as principais conclusões de uma pesquisa feita pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) com 776 companhias de carga e de passageiros. O cenário é preocupante: a maioria das empresas pesquisadas afirma não ter como manter as operações por mais de um mês sem socorro financeiro externo. Elas também dizem que há o risco de aumento do valor dos fretes.


Profissionais veteranos sofrem com novas tecnologias

A crise da Covid-19 obrigou diversas categorias profissionais a se reinventar. Por mais que a tecnologia esteja presente na rotina das pessoas, muitas vezes ela é pouco utilizada para fins corporativos. Em São Paulo, médicos veteranos que passaram a usar a chamada telemedicina ; ou consulta a distância ; têm relatado dificuldades para acessar os sistemas virtuais. Professores experientes também sofrem para transmitir aulas ao vivo pela internet.


Até os unicórnios sofrem

Em junho do ano passado, a startup Gympass, que oferece assinatura de academias e atividades físicas, recebeu aporte de US$ 300 milhões que a transformou no novo unicórnio ; nome dado a companhias avaliadas em mais de US$ 1 bilhão ; brasileiro. O que parecia ser um caminho glorioso foi interrompido pelo novo coronavírus. Menos de um ano depois, a empresa demitiu quase 400 funcionários após constatar queda de 50% no faturamento. Com a quarentena, o futuro é incerto para a startup.



;Esta é das maiores crises, mas também das mais rápidas. A crise de 2008 demorou oito anos. Essa irá durar seis meses com o mesmo impacto;

Luiz Alves Paes de Barros, um dos maiores investidores individuais da bolsa brasileira


RAPIDINHAS


; Apesar da queda expressiva dos negócios nos últimos 30 dias, as locadoras não colocaram o pé no freio. A Unidas finalizou ontem a compra, por R$ 25 milhões, da Zetta Frotas, especializada na terceirização de veículos especiais como UTIs móveis, carros de resgate e viaturas policiais. Em 2019, a Zetta faturou R$ 103 milhões.




; As grandes redes de supermercados continuam passando longe da crise. Com as vendas em alta, o Carrefour (foto) abriu 4 mil vagas temporárias. No Pão de Açúcar, que também contabiliza aumento de receitas, a previsão é contratar 5 mil funcionários nos próximos dias. Na rede Dia Brasil, serão preenchidos 450 postos temporários até o final de abril.

; O setor automotivo sofre com a pandemia. Em março, os financiamentos de veículos caíram 15% na comparação com o mesmo mês do ano passado, o que é reflexo direto do fechamento das concessionárias desde o início da quarentena. Considerando dados completos do primeiro trimestre, a queda foi de 6,8%.

; O terminal de cargas de Viracopos, em Campinas (SP), foi eleito o terceiro melhor do mundo pela Air Cargo Excellence Awards 2020, principal premiação do setor. Apesar da boa notícia, Viracopos enfrenta grave crise. Em abril, com a quarentena imposta pelo governo paulista, o número de voos domésticos caiu 74%.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação