Economia

Auxílio emergencial: governo adia novamente anúncio das datas de pagamento

O ministro Onyx Lorenzoni havia prometido apresentar cronograma nesta sexta-feira. Mas, hoje, disse que anúncio agora será feito por Bolsonaro nos próximos dias

Marina Barbosa
postado em 08/05/2020 19:44
O ministro Onyx Lorenzoni havia prometido apresentar cronograma nesta sexta-feira. Mas, hoje, disse que anúncio agora será feito por Bolsonaro nos próximos diasOs brasileiros vão passar o fim de semana ainda sem saber quando terão acesso à segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600, que já está atrasada há mais de dez dias. Isso porque o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, não cumpriu a promessa de anunciar ainda nesta semana as próximas datas de pagamento do benefício. Ele alegou que o anúncio agora será feito pelo presidente Jair Bolsonaro e provavelmente só no início da semana que vem.

Onyx passou toda a semana afirmando que esse cronograma de pagamentos seria apresentado até esta sexta-feira (08/05). Afinal, o início dos depósitos da segunda parcela estava previsto para começar no último dia 27 e o governo chegou até a anunciar a antecipação desse pagamento para o dia 23. Depois, contudo, voltou atrás. Onyx alegou que era preciso liberar um crédito extra para o programa, já que o número de beneficiários superou as expectativas do governo. O crédito, porém, logo foi liberado por Bolsonaro, que ainda disse não ter autorizado a antecipação do pagamento.

Nesta sexta, contudo, o ministro da Cidadania não fez nenhum anúncio. Ao contrário, disse, em entrevista ao programa de Datena, que o anúncio das datas de pagamento da segunda parcela agora estão a cargo do presidente Bolsonaro. "Vai ser anunciado pelo presidente, ou no final de semana ou no início da semana, as datas de pagamento da segunda parcela", disse Onyx, ao ser questionado sobre o assunto por Datena.

Nem ele, nem o Ministério da Cidadania explicaram o motivo do atraso. E Bolsonaro também não falou sobre o assunto hoje. Mas Onyx garantiu que, apesar disso, o "todo o esforço que estamos fazendo é para que a segunda parcela possa ser paga já na próxima semana". Ele alegou que o pagamento da segunda e da terceira parcela do auxílio emergencial será feito de forma muito mais ágil, visto que o governo já tem a base de dados dos brasileiros que têm direito aos R$ 600.

A Caixa Econômica Federal, que é a responsável pela operacionalização do pagamento, contudo, tem defendido que essa segunda parcela seja paga de uma forma diferente. Para evitar a formação de novas filas nas agências bancárias, a Caixa defende que os saques sejam espaçados. Ou seja, com um intervalo entre cada grupo de pagamentos. Os grupos devem ser definidos, por sinal, de acordo com o mês de nascimento de cada trabalhador.

Mais recuos
O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, ainda mudou o prazo de dois anúncios realizados por ele mesmo, em coletiva de imprensa realizada no Palácio do Planalto, nessa quinta-feira (07/05). Ele disse que a parceria Ele havia dito que a análise cadastral dos 17 milhões de brasileiros que pediram o auxílio emergencial em abril, mas ainda não sabem se terão acesso aos R$ 600 seria concluída ainda na noite de quinta-feira. Mas, nesta sexta-feira, disse que esse processo pode se estender até o sábado (09/05). "Queremos homologar essas pessoas até o final do dia de hoje ou no máximo amanhã para permitir que, no máximo segunda-feira, essas pessoas possam estar recebendo", afirmou Onyx no programa de Datena.

Além disso, o ministro anunciou na quinta-feira uma parceria com os Correios, dizendo que, a partir de segunda-feira, os brasileiros que têm dificuldade de acessar os canais digitais poderiam se cadastrar no auxílio emergencial nas agências dos Correios. Nesta sexta, porém, explicou que ainda está fechando esse acordo. "A gente acredita que terça ou quarta-feira já tenha condições, que o acordo esteja assinado, porque isso vai gerar um custo para o Ministério", disse Onyx.

O anúncio da parceria, por sua vez, já levou muitos brasileiros às agências dos Correios ainda nesta sexta-feira. Por isso, os Correios chegaram até a emitir uma nota esclarecendo a situação. Veja o comunicado:

"A respeito do anúncio feito pelo Ministério da Cidadania, os Correios informam que a atuação da empresa em apoio ao Auxílio Emergencial ainda demanda ajustes em procedimentos e questões técnicas, a serem realizados em conjunto com o ministério. Dessa forma, as agências dos Correios ainda não estão aptas a realizar qualquer serviço relacionado ao Auxílio Emergencial. Mais informações serão divulgadas oportunamente."

Queixas

[SAIBAMAIS]Por conta desse desencontro de informações, o número de brasileiros que voltou a criticar os impasses relativos ao pagamento do auxílio emergencial voltou a subir nesta sexta-feira. Nas redes sociais, muita gente reclamou da demora na análise cadastral de quem pediu o auxílio e também no atraso das datas da segunda parcela.

"Até quando vamos ter que esperar a Dataprev enviar nossos dados para a Caixa? Estamos em análise desde o dia 07 e nenhuma resposta. Todo dia o Onyx Lorenzoni divulga o prazo para a homologação e tudo não passa de mentiras", criticou uma internauta. "Agora parece que além da análise começa a saga de mentiras sobre o calendário da segunda parcela", disse outro brasileiro.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação