Economia

Arrecadação total de abril cai 28,95% e tem pior resultado desde 2007

No acumulado de janeiro a abril de 2020, também houve decréscimo, no confronto com o mesmo período do ano anterior

Vera Batista
postado em 21/05/2020 13:19
No acumulado de janeiro a abril de 2020, também houve decréscimo, no confronto com o mesmo período do ano anteriorA pandemia pelo novo coronavírus teve forte impacto nos cofres do Tesouro Nacional. A arrecadação total das receitas federais no país, em abril de 2020, teve um tombo de 28,95%, em relação a 2019, o pior resultado da série histórica iniciada em 2007.

De acordo com dados divulgados pela Receita Federal, o valor total, esse ano, foi de R$ 101,154 bilhões (corrigido pela inflação oficial medida pelo IPCA). No acumulado de janeiro a abril de 2020, também houve decréscimo, no confronto com o mesmo período do ano anterior. O valor de R$ 502,293 bilhões representa um decréscimo de 7,45%.

Quanto às receitas administradas apenas pela RF, o recuo também foi grande. O valor arrecadado, em abril, foi de R$ 93,332 bilhões, representando um decréscimo real de 28,79%.

Considerando o período acumulado de janeiro a abril, a arrecadação ficou em R$ 476,811 bilhões, um decréscimo de 7,71%, na comparação com 2019. De acordo com a Receita Federal, "o resultado tanto do mês quanto do período acumulado foi bastante influenciado pelos diversos diferimentos (adiamentos) decorrentes da pandemia de coronavírus;.

Os diferimentos (a permissão para empresas atrasarem uma série de tributos, com o objetivo de aliviar o caixa) somaram, destaca o órgão, "aproximadamente, R$ 35 bilhões".

[SAIBAMAIS]Já as compensações tributárias cresceram 25,19% no mês de abril de 2020 e de 46,91% no acumulado do ano. ;Destaca-se, ainda, que no período observaram se receitas extraordinárias de IRPJ/CSLL (Imposto de Renda Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro) que contribuíram para o resultado;, aponta o órgão.

Abril de 2020

No mês, houve queda em praticamente todas as receitas arrecadadas. Pelos dados da Receita Federal, a Cofins e o PIS/Pasep tiveram entradas conjuntas de R$ 12,947 bilhões, um decréscimo real de 51,98%.

"Esse resultado decorreu, fundamentalmente, do diferimento do prazo para os pagamentos;, explica o órgão.

Já a receita previdenciária ficou em R$ 23,283 bilhões, com queda 33,10%, desempenho explicado pelo adiamento do prazo para pagamento do Simples Nacional e da Contribuição Previdenciária Patronal no montante de, aproximadamente, 12 bilhões, explica a Receita Federal. O Imposto de Renda das Pessoas Físicas teve arrecadação de R$ 1,700 bilhão, com queda de 82,58%, retração também explicada pelos adiamentos para o pagamento do tributo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação