Publicidade

Correio Braziliense

Auxílio emergencial: Caixa receberá novo lote de análises na próxima semana

Expectativa do presidente Pedro Guimarães é de que Dataprev e Ministério da Cidadania enviem um 'lote grande' de análises na semana que vem; cerca de 11,1 milhões ainda aguardam aprovação


postado em 03/06/2020 18:21 / atualizado em 03/06/2020 18:23

(foto: Agência Brasil/Divulgação)
(foto: Agência Brasil/Divulgação)
A Caixa deve receber um novo lote de análises do auxílio emergencial na próxima semana, informou o presidente do banco, Pedro Guimarães, nesta quarta-feira (3/6). A análise dos cadastros é feita pela Dataprev e pelo Ministério da Cidadania, que avaliam se o cadastrado tem ou não direito ao benefício. Atualmente, 11,1 milhões de pessoas ainda aguardam aprovação. Desses, 5,8 milhões estão em primeira análise, e 5,3 milhões de cadastros passam por reanálise.

Em coletiva realizada pela CEF, o presidente disse que, após conversas com o ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni, espera-se que, na semana que vem, uma parte dos cadastros que ainda não foram contemplados pelo auxílio seja enviada à Caixa. "Após a conversa que tive com Onyx ontem (2/6), a expectativa é de que nós tenhamos um lote relativamente grande de análises da Dataprev e do Ministério da Cidadania na próxima semana", disse Guimarães.

Respondendo às dúvidas de internautas, ele também esclareceu que, mesmo aqueles que ainda não receberam a primeira parcela, terão direito às três parcelas previstas. "Todas as pessoas que forem aprovadas terão o direito às três parcelas. Se não recebeu ainda, não significa que perdeu a primeira parcela. Significa apenas que você vai receber a primeira, algum tempo depois a segunda, e algum tempo depois a terceira", explicou o presidente.

Pedro Guimarães afirmou que a Caixa está trabalhando no calendário da terceira parcela do benefício e que ele deve ser divulgado em breve. No total, já foram pagos R$ 76,6 bilhões na primeira e segunda parcela para o Bolsa Família (R$ 30,3 bi), CadÚnico (R$ 14 bi) e App/Site (R$ 32,3 bi).

O presidente da CEF disse ainda que a instituição se orgulha de que "mais de 30 milhões de brasileiros" tenham acesso à economia formal e à inclusão digital. Isso, segundo ele, será benéfico após a pandemia. "Essas mais de 30 milhões de pessoas terão sua conta digital e poderão realizar compras de crédito, operação de microsseguros de uma maneira organizada e sem pagar nada. Esse é um benefício muito relevante e nós temos orgulho de poder operacionalizar isso", exaltou.

Na semana passada, o aplicativo Caixa Tem, utilizado para movimentação dos valores recebidos, ganhou uma nova opção de pagamento: o código QR. Com ele, basta apontar a câmera do celular para a máquina de cartão através do aplicativo e o valor da compra é debitado do saldo. O código da compra é gerado pelo vendedor. A modalidade de pagamentos também é aceita por sites de concessionárias de água, luz e energia. 

Segundo dados divulgados nesta quarta, o valor de transações/compras feitas utilizando QR Code é de R$ 46 milhões – quase R$ 10 milhões a mais do que o dia anterior, quando a cifra era de R$ 36,13 milhões. Já as compras em débito virtual somam R$ 2,08 bilhões.

*Estagiário sob a supervisão de Fernando Jordão

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade