Economia

Compras on-line são a aposta do comércio para Dia dos Namorados

Dos pequenos aos grandes lojistas, comércio aposta no novo hábito de consumo para salvar parte das vendas da data, uma das mais importantes no ano para o varejo

Felipe Quintella*/Estado de Minas
postado em 11/06/2020 09:11
ABComm estima que, entre 25 de maio e 12 de junho, as vendas pela internet crescerão 18%O Dia dos Namorados deste ano deve seguir a tendência de outras datas importantes para o comércio durante a pandemia de coronavírus. As compras on-line dispararam e fazem parte dos novos hábitos de consumo. Para tentar garantir parte do faturamento com as trocas de presentes entre os casais, as empresas apostam nas vendas pelas redes sociais e internet, além de descontos e promoções.

O isolamento social e o fechamento do comércio forçaram uma alta no consumo pelos meios digitais, potencializado nas datas especiais. A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) estima que, entre 25 de maio e 12 de junho, as vendas pela internet crescerão 18%. O segmento pode salvar parte da receita da data. A Confederação Nacional do Comércio, Bens, Serviços e Turismo (CNC), calcula que as vendas do Dia dos Namorados serão de R$ 937,8 milhões este ano. Uma queda de 43,1% em relação ao R$ 1,65 bilhão registrado no ano passado.
O comércio on-line começou a se aquecer duas semanas antes do Dia dos Namorados deste ano. É o que aponta um levantamento da plataforma Loja Integrada, que comparou o volume de vendas nos 15 dias anteriores à data em 2019 e em 2020. Segundo a pesquisa, o segmento de sex shop teve a maior alta nos meios digitais, com aumento de 617% entre os períodos.
Presentes comuns na data, as vendas on-line de buquê de flores cresceram 164%, enquanto as de cestas de café da manhã aumentaram em 128%. Além disso, as vendas pela internet de relógios aumentaram 214% e de cosméticos em 212%.

A analista de comunicação Isabela Gomes contribuiu para essas estatísticas. De Belo Horizonte, ela comprou um perfume que será entregue na casa do namorado, que mora em Patos de Minas. Os dois vão passar a sexta-feira separados, mas pretendem jantar juntos em uma conferência de vídeo.

Isabela não tinha o costume de comprar on-line antes da pandemia, e agora acredita que vai manter o hábito até que a crise de saúde melhore. ;É uma maneira de valorizar as empresas que estão respeitando o isolamento social. Não compro em lojas que estão abertas;, conta Isabela. Ela vê como diferencial as marcas que fazem doações e campanhas de apoio durante a pandemia. ;Agora, compro desde produtos de beleza à alimentação on-line, é mais seguro;, afirma.

Reforço digital
Mirando nessa mudança nos hábitos de consumo, empresários de Belo Horizonte buscam reforçar os canais de venda on-line para o Dia dos Namorados, mesmo com as portas abertas. É o caso de Letícia Novais, proprietária da loja de artigos esportivos Let Sports, no Bairro Grajaú, Região Oeste da capital. Como parte do programa de reabertura do comércio da Prefeitura de BH, as lojas de artigos esportivos puderam voltar a abrir desde 8 junho, com horário reduzido. Porém, a empresária não coloca todas as suas fichas na venda presencial.

;Mesmo com essa liberação, as pessoas estão com medo, com mais cautela. Com a pandemia a gente teve que se reinventar com os canais de venda digital;, conta. A loja ainda não tem um site, mas divulga e vende os produtos pelas redes sociais, com entrega em domicílio. Além disso, ao lado de duas outras lojas da região, a loja fez um sorteio de vale-compras na internet.
;As vendas chegaram a cair 80% no primeiro mês da crise. Mas agora estão se recuperando. A expectativa é que neste Dia dos Namorados tenhamos uma aquecida. A diferença vem três dias antes da data;, afirma a empresária.

Já Fernando Cardoso, diretor comercial da rede de óticas Centro Visão, acredita que o Dia dos Namorados não trará apenas uma alta momentânea de vendas para o comércio. ;A expectativa é positiva, a economia está retomando. Já dá pra sentir uma busca do consumidor, o movimento do comércio está em uma curva ascendente;, afirma.
Das 21 lojas da rede na Grande BH, 11 estão abertas desde 15 de abril. As outras dez, em shoppings, estão fechadas. ;Essa reabertura está sendo muito positiva para as pessoas acreditarem na retomada;, diz Cardoso.

Para garantir parte do faturamento durante a pandemia, a marca criou um serviço de delivery, que se junta a um site de vendas. Tanto nas lojas físicas e na internet, a rede oferece descontos para o Dia dos Namorados. Além disso, o empresário fechou uma parceria com um restaurante para um sorteio. O casal escolhido recebe um jantar em casa, junto com um par de óculos para cada. ;A gente adotou a estratégia do vínculo com o cliente;, explica Fernando Cardoso.

Plataforma ajuda a vender
Como boa parte do comércio de Belo Horizonte ainda está fechada, as entidades da cidade se mobilizam para tentar garantir parte do movimento do Dia dos Namorados. A Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) liberou acesso a uma plataforma de compras remotas até 12 de junho. Os comerciantes podem se cadastrar no Clube de Vantagens CDL/BH gratuitamente e têm direito a anúncio gratuito e vitrine virtual.
A ferramenta é divida por segmentos, que vão desde produtos de beleza a serviços e alimentação. A plataforma está disponível em aplicativo para celulares Android e conta um site. ;Sabemos a importância dessa data para os lojistas e não podemos deixar que ela perca sua força em função do isolamento social;, afirma o presidente da CDL/BH, Marcelo de Souza e Silva.
A adaptação dos canais de venda para o meio digital nas empresas que ainda não têm essa opção é urgente em meio à crise. Essa é a avaliação da consultoria Grupo Bittencourt, especializada em desenvolvimento, gestão e expansão de redes de negócios.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação