Publicidade

Correio Braziliense

Para Mario Mesquita, ''fundo do poço'' ocorreu em 28 de março

Economista-chefe do Itaú Unibanco mantém projeção de queda de 4,5% do PIB de 2020, uma das mais otimistas do mercado. Contudo, ele ainda não descarta um''viés negativo''


postado em 02/07/2020 11:34

(foto: Solange Macedo/Divulgação)
(foto: Solange Macedo/Divulgação)
Em meio ao ambiente recessivo da economia devido à pandemia de covid-19, que já matou mais de 60 mil pessoas no Brasil, o fundo do poço da atividade econômica passou e ele ocorreu no fim de março, na avaliação do economista-chefe do Itaú Unibanco, Mario Mesquita. 

 

“Como os indicadores têm uma frequência distinta, o nosso novo indicador diário mostra que o fundo do poço ocorreu em 28 de março. Agora, na frequência mensal, posso dizer que o pior mês da atividade foi abril, e, o pior trimestre, provavelmente, foi o segundo”, destacou Mesquita, na manhã desta quinta-feira (02/07), durante o lançamento do indicador diário de atividade, o “Itaú Daily Index” ou Itad. Esse novo índice terá uma defasagem de dois a três dias e tem como base de dados, por exemplo, as operações de cartões de crédito do banco e os indicadores de consumo de energia industrial.

 

O Itaú tem uma das projeções mais otimistas do mercado, pois prevê queda de 4,5% no Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, enquanto a mediana do mercado prevê retração de 6,54%. Mesquita mantém as projeções, apesar de considerar que existe um “viés negativo” que não pode ser ignorado. “O país ainda não superou de forma conclusiva a pandemia. Não dá para descartar a adoção de medidas mais duras de bloqueio nos grandes urbanos, em uma possível segunda onda da pandemia, no curto prazo”, destacou.

 

De acordo com o Mesquita, pelo comportamento dos indicadores recentes, é possível que a queda no segundo trimestre "poderá ficar menor do que 8,7%". Nos primeiros meses do ano, o PIB brasileiro encolheu 1,5%. Em maio, a produção industrial registrou crescimento de 7% na comparação com o mês anterior, interrompendo a queda dos últimos dois meses.

 

De acordo o índice de atividade diária do Itaú, junho vem apresentando dados melhores do que em maio, passando de 73 para 82 pontos, com taxa de isolamento social média variando de 44,1% para 40% no mesmo período. Em abril, o adiantou que o esse índice ainda vai contar com dados de desempenho regional em meados de julho.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade