Economia

Novos cadastros do auxílio emergencial terão resposta até o fim de semana

Em entrevista, presidente da DataPrev, Gustavo Canuto, disse que a empresa tem 2 milhões de pedidos em análise

Jailson R. Sena*
postado em 07/07/2020 16:20
 (foto: Reprodução/TV Brasília)
(foto: Reprodução/TV Brasília)
Gustavo CanutoO presidente da DataPrev, Gustavo Canuto, afirmou que a empresa vinculada ao Ministério da Economia e responsável pela análise dos pedidos de auxílio emergencial tem 2 milhões de cadastros, feitos entre 17 de junho e 2 de julho, em avaliação. Destes, 1,5 milhão devem receber uma resposta até o próximo fim de semana. As declarações foram dadas nesta terça-feira (7/7), em entrevista ao programa CB.Poder ; uma parceria do Correio Braziliense com a TV Brasília.

Os outros 500 mil, segundo Canuto, já receberam um retorno. "São aqueles cadastros que durante o processamento foram os retidos. Situação em cenários mais complexos, que a gente não conseguia prever antecipadamente, e que precisamos de um olhar mais atento para garantir que a gente pagasse a quem precisa e não pagasse errado", explicou.
Pessoas que tiveram o benefício negado podem contestar e pedir uma nova análise. Em relação àqueles que tiveram o pedido aceito, o presidente da DataPrev informou que o cronograma de pagamento das parcelas será definido pela Caixa Econômica Federal.
[SAIBAMAIS]Canuto ainda destacou a atuação da empresa, junto à Caixa e ao Ministério da Economia, para a concessão do benefício, lançado em abril com o intuito de atender pessoas em situação de vulnerabilidade afetadas pela pandemia de covid-19. "Foi demandado um trabalho de muitos, especialmente o Ministério da Cidadania e parcerias com a Caixa Econômica e a Dataprev, que entrou com parcela tecnológica que cruzou milhões de cadastros, não só aqueles existentes do Cadastro Único e Bolsa Família, mas os novos que foram protocolados pelo aplicativo e site da caixa", exaltou.

Sobre a capacidade do sistema para a extensão do benefício pelo governo, Gustavo disse que, ao longo do atual processo, a empresa foi "aprendendo os problemas". "Dificuldades e espaço de aprimoramentos eram identificados e aprimorados. Melhoramos muito o sistema onde as atualizações são mais pontuais", afirmou. "Provavelmente pode ser que tenha um ajuste ou outro, mas o motor de processamento está pronto para os novos que possam vir", acrescentou.

Assista à íntegra da entrevista:

[VIDEO2]

Ouça a entrevista em formato podcast:

[VIDEO3]
*Estagiário sob supervisão de Fernando Jordão

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação