Publicidade

Correio Braziliense

Latam Brasil pede recuperação judicial e se une ao Grupo nos EUA

Companhia continuará a voar sem nenhum impacto nas suas operações de passageiros, cargas, reservas, vouchers ou pontos, informou


postado em 09/07/2020 10:21

(foto: MARTIN BERNETTI/AFP)
(foto: MARTIN BERNETTI/AFP)
Em maio o Grupo Latam anunciou recuperação judicial nos Estados Unidos, sem afetar as operações da companhia no Brasil. Mas foi questão de tempo. Nesta quinta-feira (9/7), a Latam Brasil divulgou que “passa a integrar o processo de reorganização e reestruturação voluntária sob a proteção do Capítulo 11 da lei dos Estados Unidos, a fim de reestruturar seus passivos financeiros e administrar de maneira eficiente sua frota local, mantendo a sua operação normalmente”. O grupo e as afiliadas no Chile, Peru, Colômbia, Equador e EUA já fazem parte deste processo iniciado em 26 de maio.

Segundo nota da empresa, a decisão da Latam Brasil é um movimento “natural” diante do prolongamento da pandemia do Coronavírus. “Dado que o ambiente externo ainda não dá sinais

fortes de recuperação, integrar o processo do Capítulo 11 é a melhor opção para Latam Airlines Brasil ter acesso às novas fontes de liquidez, implementar reestruturações operacionais e financeiras e fortalecer a sua posição de liderança na indústria aérea”, disse em nota.

“Tomamos esta decisão neste momento para que a empresa possa ter acesso a novas fontes de financiamento. Estamos seguros de que estamos nos movendo de forma responsável e adequada, pois temos o desafio de transformar a empresa para que ela se adapte à nova realidade pós-pandemia e garanta a sua  sustentabilidade no longo prazo”, comentou Jerome Cadier, CEO da Latam Brasil. “Adicionalmente, este movimento pode facilitar o financiamento que está

em negociação com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e

Social), além de oferecer uma opção mais segura ao Banco, já que o DIP (Debtorin-possession, modalidade de novo financiamento para uma empresa que está em processo de recuperação judicial) tem prioridade em relação a outros passivos da empresa”, explicou.

A Latam ressaltou que o processo do Capítulo 11 é diferente da recuperação judicial da lei brasileira. “O Capítulo 11 nos Estados Unidos é o melhor caminho a seguir para alcançar os objetivos do Grupo Latam Airlines e cumprir as suas obrigações, ao mesmo tempo em que a  companhia administra de maneira abrangente a sua frota e endereça as suas dívidas”, afirmou a companhia.


Voos


A empresa garantiu que continuará a voar normalmente durante todo o processo de recuperação. “A Latam Airlines Brasil está comprometida em preservar a continuidade dos negócios à medida que se reorganiza -- especialmente em relação a funcionários, clientes, fornecedores, parceiros comerciais e comunidades locais”, ressaltou, em nota. Assim, serão respeitadas todas as passagens aéreas atuais e futuras, vouchers de viagem, pontos, reembolsos e benefícios do programa Latam Pass, bem como as políticas de flexibilidade e demais normas vigentes.

Os funcionários continuarão sendo pagos e recebendo os benefícios previstos em seus respectivos contratos de trabalho. “Os fornecedores receberão tratamento adequado conforme as regras aplicáveis, o que não impacta o pagamento dos materiais e serviços entregues a partir de 9 de julho de 2020 e ao longo desse processo e receberão tratamento adequado conforme as regras aplicáveis.”  As agências de viagens e outros parceiros comerciais não sofrerão interrupções em suas interações com o grupo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade